Odontólogo divulga fotos de rinha e gera revolta nas redes sociais

Dentista justificou frases e imagens afirmando que estava

15/10/2011 15:28h

Compartilhar no

Um odontólogo que atua em Teresina causou polêmica ao postar em sua página no Facebook fotos de cães da raça pitbull brigando em rinhas. Além disso, em frases publicadas na rede social, ele insinuou que é apreciador e promotor da prática criminosa.

Rapidamente, uma avalanche de comentários foi postada por usuários do Twitter e do próprio Facebook, que repudiaram o profissional, cuja formação visa promover a saúde, e não o sacrifício gratuito e injustificável de animais.

Uma das imagens postadas pelo dentista é a de um cão com a cara completamente mutilada. Sobre a foto ele colocou a seguinte legenda: "depois da rinha olha o q restou.... mas mesmo assim foi o campeão da noite" (sic).

Por volta das 14h30 deste sábado, após tomar conhecimento da repercussão que suas fotos e frases ganharam nas redes sociais, o odontólogo disse que, na verdade, mostrou as imagens para fazer campanha contra as rinhas. Em seguida, ele divulgou um breve esclarecimento em seu perfil no Facebook:

Olá!!! Gente é impressionante como as pessos são maldosas!!! Irei ser breve! A interpretação foi totalmente errada. Postei uma foto que vi na internet para mostrar essa falta de respeito com os animais e se tornou tudo isso! Interpretação é para quem sabe entender!!!

O odontólogo ainda disse que pegou na internet as fotos postadas em seu perfi, as quais já foram deletadas.

Curiosamente, no dia 20 de setembro de 2011 ele colocou em seu status a seguinte frase: "Hj e dia de rinha de pit bull..." (sic)

O dentista ainda postou uma foto de dois cães se digladiando, e abaixo da imagem: "Amanhã tem............ estaremos lá"

Leia também

Odontólogo nega rinha e reconhece que ele e amigo fizeram brincadeira de mau gosto

A Lei nº 9.605/98, dispõe sobre as sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente, e dá outras providências.

Seu artigo 32 tipifica como crime: "Praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos".

A penalidade para tal infração é de detenção, de três meses a um ano, e multa.

Em caso de morte de animal, a pena é aumentada de um sexto a um terço.

A Apipa (Associação Piauiense de Proteção e Amor aos Animais) divulgou uma nota de repúdio a José Neto e a Mauro Santiago, outro odontólogo, que também fez comentários denotando interesse na prática de rinhas.

Na nota, a entidade afirma que todas as medidas legais cabíveis serão realizadas para apurar a real participação e culpabilidade dos envolvidos.

Leia a íntegra da nota divulgada pela APIPA:

NOTA DE REPÚDIO - APIPA (Associação Piauiense de Proteção e Amor aos Animais)


Em Teresina, enfrentamos um problema a tempos, a Rinha de cachorros. Tomado como esporte como os participantes, exige treinamento extremo de estímulo à violência com os cães. Entre estes treinamentos está o confronto dos pitbulls com vira-latas encontrados na rua, que são levados para um suposto espetáculo anterior ao início das rinhas.


A Legislação é bem clara à este respeito. Senão vejamos:


Lei Federal 9.605/98 - dos Crimes Ambientais Art. 32º Praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos: Pena: detenção, de três meses a um ano, e multa. § 1º Incorre nas mesmas penas quem realiza experiência dolorosa ou cruel em animal vivo, ainda que para fins didáticos ou científicos, quando existirem recursos alternativos. § 2º A pena é aumentada de um sexto a um terço, se ocorre morte do animal.


A publicação do Sr. José Neto e do Dr. Mauro Santiago demonstra como em nossa sociedade os valores estão invertidos e não há respeito nenhum por seres vivos.


Incorrendo em atitude criminosa, chegam ao ponto de distribuir suas atrocidades em redes sociais, tripudiando completamente frente aos institutos legais que regem o país.


A APIPA reitera seu repúdio aos comentários apresentados, que podem ser comprovados por várias reproduções de tela do momento da presença dos comentários.


Diante do que foi exposto a APIPA afirma compromisso com a população piauiense. todas as medidas legais cabíveis serão realizadas para apurar a real participação e culpabilidade dos envolvidos. Denúncias serão encaminhadas conjuntamente com as provas ao Judiciário.


Assessoria Jurídica da APIPA.

Leia também

Odontólogo nega rinha e reconhece que ele e amigo fizeram brincadeira de mau gosto

Compartilhar no

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário