Servidores são contra retorno de atividades presenciais na Justiça do Trabalho Piauiense

Ato da Presidência do TRT 22ª Região determina o retorno de 30% a 50% dos servidores a partir de 02 de agosto. Categoria diz que medida 'fere protocolos sanitários'.

29/07/2021 11:42h

Compartilhar no

O Sindicato dos Trabalhadores do Judiciário Federal do Piauí (Sintrajufe) divulgou carta aberta onde se posiciona contra o retorno das atividades presenciais para magistrados, servidores e estagiários no Judiciário Piauiense. A retomada do trabalho presencial foi regulamentada no ato º 92/2021 divulgado ontem pela Presidência da 22ª Região do Tribunal Regional do Trabalho.

A medida considerou as condições sanitárias atuais do Piauí e determina que os servidores retornem aos seus postos de trabalho presenciais a partir do próximo dia 02 de agosto. No entanto, para a entidade representante da categoria, a volta às atividades in loco é precipitada, fere os protocolos sanitários e põe em risco a vida dos trabalhadores. 

“Enquanto não houver um processo de vacinação em massa, não há segurança do retorno ao trabalho presencial, pois mesmo aqueles que estão imunizados não estão livres tanto do risco do covid-19 quanto das variações da doença”, afirma o Sintrajufe.


Foto: O Dia

O ato publicado pela 22ª Região do TRT prevê que deverão retornar somente 30% a 50% dos não imunizados de cada unidade judiciária. Para tanto, deverão ser observados critérios como prioridade para retorno presencial daqueles que já tomaram a primeira dose, os que não possuem quaisquer comorbidades e a elaboração de um sistema de rodízio entre estagiários e não imunizados. 

Essa porcentagem de servidores que deve retornar ao trabalho presencial na Justiça do Trabalho foi duramente critica pelo sindicato. Pedro Laurentino, diretor de Formação e Política Sindical, a medida é uma ameaça: “As pessoas imunizadas e não imunizadas conviverão com advogados e partes, muitos deles não imunizados. Isso tudo em um ambiente fértil para a proliferação do vírus”, diz.

Pedro lembra que o Tribunal Regional do Trabalho do Piauí está trabalhando com 30% do efetivo realizando o trabalho presencial e 70% encontra-se em trabalho remoto. “As modalidades de trabalho não afetam o andamento processual da Corte, pois os processos são 100% eletrônicos e as demandas estão sendo resolvidas”, finaliza o representante do sindicato.

A categoria se reunirá hoje (29) com a administração do TRT 22ª Região para tratar sobre o retorno das atividades presenciais.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário