Servidores do Detran fazem paralisação contra defasagem salarial de 4 anos

Sindicato diz que todos os 319 servidores do órgão sofrem com defasagem salarial, mas situação é ainda pior para cerca de cem servidores, que permanecem com os mesmos salários de 2013.

13/07/2017 11:59h - Atualizado em 13/07/2017 13:35h

Compartilhar no

Os servidores do Departamento Estadual de Trânsito do Piauí (Detran-PI) farão uma paralisação de dois dias na próxima semana, segunda e terça-feira, para protestar contra a defasagem salarial que, segundo os trabalhadores, estende-se por quatro anos.

A presidente do Sindicato dos Servidores do Detran (Sindetran), Maria Salomé dos Reis, afirma que os servidores decidiram apelar para a paralisação porque suas reivindicações têm sido reiteradamente ignoradas pelo governador Wellington Dias (PT) e pelo secretário de Administração, Franzé Silva.

A sindicalista ressalta que o Detran é responsável por uma elevada arrecadação para o Governo do Estado, o que torna ainda mais injustificável o descaso com que os trabalhadores do órgão são tratados. 

Servidores do Detran-PI vão paralisar nos dias 17 e 18 de julho 

"Nós estamos aguardando o nosso Plano de Cargos e Salários ser publicado integralmente desde 2013. Há muito tempo a gente está nessa luta [...] Nós somos o segundo maior arrecadador do estado. Em abril de 2017, por exemplo, a arrecadação oficial do Detran-PI ultrapassou os R$ 10 milhões. Nós arrecadamos e eles fazem tudo para os outros órgãos, enquanto nós, que somos os burros de carga, ficamos só a ver navios. Então, agora nós vamos fazer o seguinte, vamos deixar de arrecadar, que eu quero ver qual dinheiro eles vão manipular", protesta a presidente do Sindetran-PI.

Segundo Salomé dos Reis, o plano de cargos e salários dos trabalhadores do Detran-PI estipulou um reajuste escalonado em seis parceladas, pagas entre 2014 e 2016, sempre nos meses de maio e novembro. 

Ela afirma que todos os 319 servidores efetivos do órgão sofrem com a defasagem salarial, mas a situação é ainda pior para pouco mais de cem servidores que não foram sequer incluídos no plano de cargos e salários, e, portanto, permanecem recebendo os mesmos salários que recebiam em 2013 - sem acréscimo sequer da inflação acumulada no período.

Salomé argumenta que se o Governo tivesse incluído todos os servidores no plano de cargos e salários, como deveria ter ocorrido, o impacto nas finanças do estado seria de apenas R$ 100 mil ao mês. 

Sindicato afirma que secretário Franzé Silva não cumpre acordo (Foto: Elias Fontinele / Arquivo O DIA)

Ela acrescenta que este montante, inclusive, já estava previsto no Orçamento Geral do Piauí para o ano de 2014. 

O sindicato denuncia, ainda, que o Governo está devendo o pagamento de um bônus trimestral a que as categorias têm direito - sendo de R$ 500 para servidores de nível médio e R$ 1.250 para os de nível superior.

A estimativa do Sindetran é que a adesão movimento chegue a 100% dos servidores efetivos, que incluem quatro categorias - auxiliares, assistentes, agentes e analistas de trânsito.

"Não tem nem perigo de não chegar a 100% a adesão. Todas as viagens, todas as blitz, tudo vai ficar parado. Os postos já estão todos avisados e as auto-escolas foram comunicadas que nos dias 17 e 18 nós vamos parar. Essa paralisação é só um alerta, porque o senhor secretário de administração, Franzé, simplesmente não atende a gente, mesmo sabendo que nosso dinheiro já estava previsto no orçamento de 2014, e eles engoliram. Nós não recorremos à Justiça porque ainda estamos nessa tentativa de diálogo com o governo. No dia 27 de abril falamos com o governador, falamos com o Franzé, falamos com o Merlong Solano [secretário de Governo], todos juntos, e eles prometeram que iam regularizar nossa situação, como sempre prometem, mas até agora nada foi resolvido", detalha Salomé.

Durante a paralisação os servidores farão atos em protesto ao governo de Wellington Dias. Na ocasião, os trabalhadores devem deliberar sobre a realização de novas paralisações ou mesmo de uma greve por tempo indeterminado.

Outro lado

Por telefone, o portal O DIA tentou contato com o secretário Franzé Silva, mas as ligações não foram atendidas até por volta das 13h30.

Compartilhar no
Por: Cícero Portela

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário