Retorno ao trabalho: profissionais e empresas devem se adequar às novas rotinas

Segundo pesquisa da FGV, 90% das empresas promoveram alterações no modo de operar durante a pandemia

01/09/2020 10:44h

Compartilhar no

Um levantamento do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV) aponta que quase 90% das empresas brasileiras promoveram alguma alteração no seu modo de operação durante a pandemia.

A Covid-19 provocou diversos impactos na sociedade, especialmente na rotina das empresas. Muitas passaram por mudanças para que o trabalho fosse executado mesmo diante das medidas de isolamento social impostas por meio de decretos a nível municipal e estadual.

Leia também: Retomada exigirá que empresas tenham um planejamento trabalhista 

O administrador de empresas com habilitação em marketing, Liberal Neto, explica que o cenário atual causou impactos no modo de trabalho das empresas e provocou mudanças nas rotinas trabalhistas.

"Vivemos em um momento inédito na história da humanidade e naturalmente a rotina das empresas mudou significativamente. Empresas que permaneceram abertas desde o início da pandemia por serem consideradas importantes prestadoras de serviços essenciais, muito rapidamente tiveram que se adaptar à legislação e normas de segurança para proteger seus colaboradores e clientes, empresas que tiveram sua estrutura física fechada, empresas que funcionaram em home office e ainda hoje permanecem por conta dos resultados alcançados e aproximação dos colaboradores com a família", conta.

(Foto: Freepik)

A pesquisa realizada pela FGV revela ainda que 27% das companhias que fizeram mudanças têm a avaliação de que elas serão temporárias. Outras 56% dizem que as medidas serão incorporadas parcialmente ou totalmente, e 17% ainda avaliam a questão. Ou seja, no limite, mudanças implementadas durante o período de distanciamento social podem virar rotina para até sete em cada 10 empresas.

Liberal Neto destaca que é preciso que cada gestor tenha um olhar crítico com sensibilidade necessária para perceber o mercado, as mudanças e traçar estratégias pensando no bem do colaborador e da empresa.

"Esse é o valioso papel da ciência da administração e dos seus sacerdotes, os administradores, preciosos instrumentos de uma boa gestão. Profissionais devidamente qualificados e que buscam sempre estarem se atualizando para melhor administrar empresas, organizações, dentre outros. Precisamos urgentemente entender que somente através de uma boa gestão, e claro, através de um administrador bem qualificado, poderemos mudar os rumos de nossas empresas, cidades, estados e do nosso país", conclui o administrador.

Compartilhar no
Por: Da redação

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário