Reabertura do comércio: lojistas mantêm lojas fechadas e vendas online

Nas redes sociais, as lojas afirmam que a segurança dos clientes e dos funcionários está acima do lucro.

03/08/2020 12:08h - Atualizado em 03/08/2020 14:15h

Compartilhar no

A reabertura econômica em Teresina está em sua segunda fase, mas mesmo com a autorização, algumas lojas ainda continuam trabalhando somente com as vendas pela internet.

Leia também:

Reabertura: confira o que abre nesta segunda-feira em Teresina e no Piauí 

Reabertura em Teresina: veja o que abre a partir desta segunda-feira na capital 

Este é o caso de uma loja geek da zona leste da capital, que se manifestou nas redes sociais afirmando que a loja física continua fechada e que o atendimento é exclusivamente online no Site, WhatsApp, Telefone e E-mail. “Temos opção de entrega ou retirada na porta da loja. Nosso objetivo é fazer a nossa parte por mais tempo nesse período delicado. Queremos contribuir um pouco mais para a segurança e saúde de nossos cavaleiros e de nossa realeza: você! Contamos com sua compreensão”, diz publicação.

Lojas permanecem fechadas e com serviços online, mesmo com reabertura. (Foto: Arquivo O Dia)

Do mesmo modo, uma loja de vestuário do centro de Teresina, afirma que não tem previsão para reabertura da loja física e que continuam com as vendas online e as entregas através de motoboy.

“Estamos mantendo nossa loja online lotada com as news, agilizando o prazo de entrega para que vocês possam comprar com agilidade e receber nossas peças com total segurança e no conforto do seu lar, minimizando o risco de contágio, tendo em vista que a pandemia ainda está crescente em todo país e hoje atingiu a marca dos 93 mil mortos, entre eles alguns amigos e familiares nossos. Agradeço desde já a compreensão de todos!”, disse no post.

A empresária Talita Barras Waquim é uma das comerciantes que não pretende reabrir o estabelecimento mesmo com a liberação da Prefeitura de Teresina. Ela enfatiza que esse não é o melhor momento para que as lojas reabram e reforça que em cidades que isso aconteceu houve um aumento de casos confirmados e até de óbitos em decorrência do Covid-19.

“Tanto eu como minha família somos do grupo de risco, então eu prefiro não arriscar. As pessoas que trabalham comigo também têm casos de grupo de risco na família, então eu também não quero colocar a vida deles em risco. Optei por não abrir agora e esperar uma ou duas semanas, vê como o comércio vai reagir e se haverá aumento de casos”, disse.

Enquanto não reabre, a empresária tem aproveitado para reformar a loja, segundo as recomendações de segurança dadas pelos órgãos de saúde, instalando faixas e sinalizadores para manter distanciamento de um cliente para outro; locais para colocar álcool em gel; fechando os provadores para evitar provas de roupas, entre outras medidas.

“Mesmo que a gente não abra agora estou tomando essas providências para quando for reabrir, para que a loja esteja organizada e possa receber todos com segurança. Estamos providenciando tudo que está sendo solicitado”, acrescentou Talita Barradas, destacando que não basta apenas os lojistas adotarem essas medidas de segurança, mas que os clientes também devem fazer a sua parte, utilizando máscaras; limpando as mãos com álcool gel sempre que necessário e mantendo o distanciamento recomendado.

Compartilhar no
Por: Sandy Swamy

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário