• COMBATE AO MOSQUITO AEDES AEGYPTI 2019 - 2020
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Psicóloga alerta para o uso correto de celular por crianças

Especialista explica que contato precoce e excessivo pode causar danos ao desenvolvimento dos pequenos.

12/12/2019 08:46h

Em 2019, no Brasil, houve um crescimento de 7% no número de crianças proprietárias de celular em relação ao ano passado. Pesquisa recente mostrou que 30% das crianças do Brasil, que têm entre 4 e 6 anos, já possuem smarthphones. A pesquisa Panorama Mobilie Time aponta ainda que 3 em cada 10 crianças, entre 4 e 6 anos, já ganharam o próprio aparelho.

Os dados acenderam o alerta da Sociedade Brasileira de Pediatria, mas os danos ao desenvolvimento das crianças, que têm contato precoce com celulares ou tablets, são apontados também por psicólogos. De acordo com a psicóloga Irancarla Meneses, os pais precisam estar atentos ao uso do aparelho pelos filhos.

“Muitas vezes, o pai entrega o telefone porque tem que fazer as atividades de casa, já chega cansado à noite, e correto não é. Muitos reconhecem que entregam demais o celular para as crianças”, conta a psicóloga. Entre as recomendações da profissional para os pais está a delimitação de tempo para que a criança use o aparelho. “Eu oriento a não entregar de segunda a sexta, somente nos finais de semana”, acrescenta Irancarla. 


Irancarla Meneses diz que os pais precisam estar atentos ao uso do aparelho pelos filhos - Foto: Divulgação

A psicóloga explica que o acesso a celulares cada vez mais cedo tem atrapalhado o desenvolvimento motor e gerado crianças mais aceleradas. “Atrapalha o desenvolvimento da coordenação motora grossa e fina; a criança deixa de socializar, atrapalha na aprendizagem escolar porque ela não está brincando e desenvolvendo a imaginação e isso tem reflexo já na adolescência”, acrescenta.

Irancarla também chama atenção para o acesso à internet que existe nestes aparelhos. Segundo ela, se pai e mãe resolvem comprar um aparelho para as crianças, eles ainda terão que monitorar o que as crianças estão vendo no celular que receberam de presente. “Dar um aparelho para a criança não tira a obrigatoriedade do monitoramento. De toda forma, pai e mãe terão que estar atentos e acompanhar”, afirma.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) publicou uma cartilha inédita com orientações para crianças com menos de 5 anos e o uso de aparelho celular. Entre as orientações está a de que crianças devem brincar em parquinhos, ter contatos com livros e rotina de horários para dormir e quase nenhum ou nenhum contato com smarthphones ou tablets.

Fonte: Jornal O Dia

Deixe seu comentário