• Clínica Shirley Holanda
  • Semana do servidor
  • Netlux
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Professores e servidores da UFPI paralisam nesta quarta e quinta

Em protesto, as duas categorias irão paralisar as atividades por 48h a partir desta quarta-feira (02) em todos os campi da instituição.

01/10/2019 10:39h - Atualizado em 02/10/2019 19:02h

Os professores e servidores técnico-administrativos da Universidade Federal do Piauí decidiram aderir à mobilização nacional em defesa da educação pública. Em protesto, as categorias irão paralisar as atividades por 48h a partir desta quarta-feira (02) em todos os campi da instituição.



Leia também:

Ufpi pode perder R$ 33 milhões com bloqueio de 30% no orçamento 

Recursos desbloqueados pelo MEC são insuficientes, avalia IFPI 


Segundo o presidente da Associação de Docentes da Universidade Federal do Piauí (ADUFPI), Jurandir Gonçalves Lima, o movimento paredista é contrário aos cortes orçamentários na educação pública e ao programa Future-se.

Adufpi participará de ato de rua nesta quarta-feira. (Foto: Divulgação/Adufpi)

“O ataque à educação não é apenas financeiro, ele vem em múltiplas formas, que vai desde o ataque verbal a estudantes e professores, qualificando-os como baderneiros, desocupados e maconheiros, e colocando a universidade como um lugar improdutivo, passando também pela questão financeira”, afirma.

De acordo com ele, a liberação de parte das verbas bloqueadas no primeiro semestre às universidades e institutos federais é apenas “retórica”. “O desbloqueio ainda não aconteceu e, ainda assim, é insuficiente. Está vindo em doses homeopáticas, são migalhas. Está sendo barganhado por votos no Congresso para a aprovação da Reforma da Previdência”, afirma o professor.

Outro ponto crítico, segundo os docentes, é o Programa Future-se. No último dia 10 de setembro, a comunidade acadêmica da UFPI se uniu a outras instituições federais de ensino e rejeitou integralmente a proposta do programa do Ministério da Educação (MEC). 

“O Future-se é muito mais grave ainda, porque mexe com a autonomia universitária em seus vários aspectos, financeiro, administrativo, pedagógico. Muda todo o encaminhamento de carreira docente porque passa a poder contratar professor em regime de CLT”, destaca o presidente da Adufpi.

A mobilização na UFPI será dividida em duas etapas. Na primeira, nesta quarta-feira, professores, servidores e alunos se unem a um ato de rua, a ser realizado a partir das 8h em frente ao campus do Instituto Federal do Piauí (IFPI) localizado no Centro de Teresina.

Já na quinta-feira, serão realizadas aulas públicas em todos os centros e campi da UFPI, com o objetivo de debater com a comunidade acadêmica a situação da educação pública no Brasil.


Por: Nathalia Amaral

Deixe seu comentário