Presos na Operação Fragmentação I tomavam decisões sobre crimes

O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) conseguiu mapear a hierarquia do grupo

05/10/2021 11:52h - Atualizado em 05/10/2021 12:05h

Compartilhar no

Os três presos na operação "Operação Fragmentação I", deflagrada nesta terça-feira (05) contra uma organização criminosa com atuação na zona Sul de Teresina, são apontados pela investigação da Polícia Civil como as pessoas responsáveis dentro do organograma da facção pela tomada de decisões sobre os crimes praticados. O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) conseguiu mapear a hierarquia do grupo. 


Leia também: Criança de 8 anos tem dedo cortado ao ser agredida pelo avô na zona Sul de Teresina 


Segundo a Secretaria de Estado da Segurança Pública do Piauí, foram presos nesta terça-feira Cléssio Gonçalves dos Santos, Gleiciane Regina Nascimento Silva e Adrielly Rocha Sena. Os alvos integram o que a polícia nomeou de “administradores” do grupo e decidiam a logística dos crimes de tráfico de droga e venda de armas de fogo.

A operação mirou ainda a base da pirâmide criminosa. Foram cumpridos mandados de prisão preventiva contra Wilson da Silva Barreto, Roberth Miller Sousa Soares e Fernando Carvalho do Nascimento, que se encontravam no sistema prisional do estado. Outro homem identificado como Janailton Sena Lima segue foragido. Eles eram os executores dos crimes. 

Por outro lado, no topo da hierarquia, a investigação identificou que a administração estadual do grupo é feita por um indivíduo conhecido como Capitão Icarus. Logo depois, aparecem três pessoas que cobravam o cumprimento do código de postura da organização. 

A investigação chegou aos envolvidos após a apuração da morte do jovem José de Sousa Nascimento em outubro do ano passado. Ele seria membro de uma facção rival. 

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário