• COMBATE AO MOSQUITO AEDES AEGYPTI 2019 - 2020
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Podas só devem ser realizadas mediante uma licença ambiental

O documento tem validade de três meses, portanto passado o prazo o interessado tem de solicitar uma nova licença.

13/01/2020 07:59h

Junto com o período chuvoso que se inicia no começo do ano, também são registrados ventos fortes, que podem colaborar para a queda de árvores. Por isso, é preciso ficar atento com a poda das árvores de forma a evitar que elas caiam e atinjam pessoas, imóveis e veículos. Mas, quais as recomendações para que seja feita a poda de uma árvore? 

José Neto, gerente de Serviços Urbanos da Superintendência de Desenvolvimento Urbano (SDU-Centro/Norte), explica que, antes de se podar ou cortar uma árvore, é necessário ter uma licença ambiental, liberada pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Semam). 

Podas só devem ser realizadas mediante uma licença ambiental . (Foto: Jailson Soares/ODIA)

“A pessoa deve ir na Semam, que fica no Parque da Cidade, e tirar a licença, documento que é enviado para a Prefeitura. Quando é em via pública, a própria prefeitura fica responsável pela poda, já se for em local privado, como quintal de uma residência, nesse caso o proprietário deve contratar uma pessoa ou empresa para realizar o procedimento, mas mesmo assim precisa ter a licença”, disse.

Se a árvore que precisar ser podada estiver próxima à rede elétrica, a Prefeitura é a responsável por fazer um ofício e enviar à Equatorial Energia, para que a distribuidora faça a poda mais próxima da rede elétrica, enquanto o restante do corte é feito pela equipe da SDU. 

A licença ambiental emitida pela Semam tem validade de até três meses, ou seja, passado esse período o proprietário deve solicitar uma nova documentação para realizar a poda. 

Durante a vistoria, o fiscal ambiental faz não somente o diagnóstico para detectar se a árvore tem risco de cair como a quantidade pode ser cortada.

 “O fiscal do meio ambiente dá uma olhada nas árvores que diz até quanto pode ser cortado, se é somente uma poda ou há necessidade de cortar a árvore toda, dependendo das condições dela”, cita José Neto. 

Quando é em via pública, os galhos e demais entulhos das árvores são retirados pela equipe de corte da SDU. Já em terreno privado o recolhimento é cobrado, no valor de R$ 116 a carrada. Diariamente as duas equipes da SDU Centro-Norte realizam podas nas regiões do Centro e Norte de Teresina. Contudo, os esforços são redobrados, vez que aumenta a demanda e as árvores estão muito frondosas.

Por: Isabela Lopes

Deixe seu comentário