Plantar árvores dentro de manilhas evita destruição das calçadas

Raízes de praticamente todas as árvores indicadas para calçadas ficam “agressivas” após 10 anos

03/12/2011 10:17h

Compartilhar no

Ter uma árvore em casa é algo quase sempre muito agradável. Para que isso não vire uma dor de cabeça basta estar atento
a algumas informações básicas. A primeira coisa é saber escolher a espécie.

Antonio Romão Sousa Filho, servidor público municipal e especialista no assunto, relaciona algumas destas possibilidades: mamorana, curupita, caneleiro, jasmin laranja, o ipê mirin e neen. "Todas essas são árvores frondosas e que não crescem muito. Outras que crescem mais podem atingir a rede elétrica e causar problemas", lembrou.

A manutenção destas árvores é bem simples, sendo preciso apenas aguar periodicamente e fazer a poda necessária.
"Uma recomendação faz muita diferença na hora de plantar. Fazer essa plantação dentro de uma manilha de 60 centímetros
de diâmetro evita que as raízes destruam a calçada. Isso porque depois de 10 anos as raízes de todas elas ficam agressivas", explica.

O ipê, apesar da beleza, não é recomendado para calçadas, justamente por crescer bastante

O neem

A única situação que ainda não é possível fazer essa afirmação é com relação ao "neem". As primeiras unidades desta espécie só começaram a ser plantadas em Teresina há cinco ou seis anos. Neem, no entanto, traz outras vantagens e isso tem chamado a atenção das pessoas. A maior delas é a de repelir mosquitos. Outro diferencial interessante de neem é seu
crescimento rápido. Sua podagem precisa acontecer a cada três meses. "Sem falar que ela produz uma sombra muito boa",
ressalta Romão.

Já para o quintal de casa, dependendo do espaço disponível, obviamente, vale à pena plantar árvores frutíferas. As mais indicadas são a mangueira, o cajueiro, a goiabeira, ateira, aceroleira e o açaizeiro. Todas elas demoram cerca de 2 anos para dar os primeiros frutos, exceto o pé de açaí que demora um pouco mais.

Os cuidados também são semelhantes. Aguar bastante, fazer a podagem corretamente, o que acelera o seu crescimento, e a cada seis meses, aproximadamente, colocar MPK (adubo) para que os primeiros frutos apareçam cedo.

Do outro lado, árvores como o Ipê e o Gonçalo Alves, devem ser completamente descartadas quando o local de plantio for residência. "Elas crescem muito, realmente não são propícias para casas", concluiu Romão.

A Prefeitura de Teresina mantém viveiros em cada região da capital. Esses locais disponibilizam gratuitamente até 10 mudas
entre árvores de sombra e frutíferas.

Compartilhar no
Fonte: Marcelo Costa / Jornal O DIA

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário