Piso escorregadio faz quatro vítimas em lavanderia da Primavera

Reformado há cerca de três meses, o local recebeu piso inadequado, apesar do alerta dos usuários que sabiam do risco que iriam correr

03/06/2014 07:22h

Compartilhar no

Há pouco mais de três meses, as lavadeiras que desempenham a atividade na Lavanderia do bairro Primavera, zona norte de Teresina, foram beneficiadas com uma reforma. Porém, a obra que tinha como objetivo proporcionar melhorias às mães de família acabou por se tornar um perigo, pois o piso colocado não é antiderrapante, provocando a queda de quatro trabalhadoras.

Maria do Desterro Rodrigues foi vítima, no último sábado (30 de maio) de um acidente, ao escorregar no revestimento que, como de costume pela natureza da atividade, estava molhado e com grande quantidade de sabão, deixando-a afastada da única profissão que ela desempenha.

Foto: Marcela Pachêco/O Dia


Estando sempre molhado e cheio de sabão, o piso liso representa um perigo constante

Segundo relatos das colegas de trabalho, a lavadeira caiu de costas e bateu com a cabeça no chão. “Ela começou a vomitar. Foram três vezes consecutivas. Depois disso a levamos ao Hospital do Buenos Aires, onde o médico aplicou apenas uma injeção. Esse piso é um risco para todas nós que trabalhamos aqui, que temos que ter cuidado redobrado quando estamos lavando roupas. Nós alertamos a construtora responsável pela obra, que esse piso não era antiderrapante”, relata Leda Maria, que há 23 anos atua na Lavanderia da Primavera e cobra que seja colocado um novo piso que não apresente riscos de novas quedas.

A lavadeira atingida diz ainda sentir muitas dores, sobretudo em toda a coluna e na cabeça. Sobre as possibilidades de buscar os meios legais da justiça para cobrar do Governo do Estado o pagamento de algum tipo de indenização, Desterro Rodrigues afirma que vai se reunir com as demais lavadeiras para traçar que atitudes devam ser tomadas. A Lavanderia da Primavera é gerida pela Secretaria de Assistência Social e Cidadania do Estado do Piauí (Sasc).

“Esse tempo que vou ficar sem trabalhar é um prejuízo pra mim que tenho que cuidar da minha filha. É da lavanderia que eu tiro meu único sustento e agora vou ter que gastar com remédios e outras coisas que aparecerem”, afirma a lavadeira vítima do acidente no local de trabalho.

Compartilhar no
Por: Beto Marques - Jornal O Dia

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário