• Netlux
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia
Picos

Picos: Moradores protestam contra cortes de arvores em praças

O ambientalista e ativista político Antônio José da Silva, conhecido como Piauí Ecologia se acorrentou em um pé de castanhola para impedir a ação dos servidores da Prefeitura de Picos.

11/10/2019 17:23h - Atualizado em 14/10/2019 12:27h

A restauração da praça Félix Pacheco localizada no centro de Picos, há 320 km de Teresina-PI, está causando revolta nos moradores. A praça é um local de grande circulação de carro e pessoas que utilizam o transporte público.

Na noite de quinta-feira, 10, o artesão, ambientalista e ativista político Antônio José da Silva, conhecido como Piauí Ecologia se acorrentou em um pé de castanhola para impedir a ação dos servidores da Prefeitura de Picos. Que estavam preparados para derrubar várias árvores. Porém a manifestação não impediu que outras árvores fossem cortadas.

Segundo o acadêmico Junior Lucena, que passa pela praça diariamente para utilizar o transporte público. O local precisa de uma revitalização, mas não é correto retirar a arborização.

“É um grande erro cortar as árvores, até porque são árvores frutíferas e que dão sombra e apoio a comerciantes e a toda a população. Acho que reconstruir os canteiros é o coreto, é essencial. Deveriam fazer uma pequena pesquisa com os frequentadores diários da praça, comerciantes, donos de bancas, e moradores do entorno”, explica.

Já o estudante Kelvin Lima, relata que as barracas que ficavam na praça estão na rua, encostadas no meio fio, o que atrapalha o trânsito. Ele lembra ainda que outros locais já passaram pelo processo de reforma, como a Praça Josino Ferreira, onde se encontra o Museu Ozildo Albano.


Praça Josino Ribeiro ainda no início da reforma, onde é possível ver árvores de grande e médio porte


Após a reforma apenas com plantas ornamentais

“A reforma da Praça do museu ficou boa, as pessoas frequentam durante a noite, porém durante o dia é insuportável ficar na praça, pois cortaram as árvores e no lugar colocaram palmeiras dentro de vasos.  Com o calor de Picos ninguém aguenta. Tá um caos”, conta.

Todavia o secretário de Meio Ambiente, Arminio Carvalho, explica que a ideia da revitalização é resgatar a identidade da praça que foi inaugurada em 1942. Para tanto serão tiradas 14 árvores, 10 ninhos indianos, que afastam abelhas e os pés de castanholas que são frutíferas e tem longas raízes. Porém, o secretário lembra que já foram plantadas mais de 500 mudas na cidade e doadas mais de muda 5 mil mudas.

“Essa praça está há mais 30 anos precisando de reforma, entra e sai prefeito e ela é modificada. Desde novembro quando cheguei a secretaria, iniciamos um trabalho de revitalização. Das 30 praças, 20 já foram restauradas. E na Praça Felix Pacheco por ser a primeira praça da cidade estamos revitalizando, reprovando as plantas baixas, gramas, e as árvores de médio e grande porte, árvores nativas plantadas em 1960, serão preservadas, o pé de oitis que tem 12 anos, e as carnaúbas que são tombadas também permanecem”, conta.

Segundo a prefeitura de Picos, o projeto de reforma do local prevê a retomada da estrutura original da praça, quando da sua inauguração no início dos anos 1940, com rebaixamento dos canteiros, o que implicará no desabamento de árvores de raízes rasas, plantadas após a elevação desses canteiros, no período posterior à ditadura militar. Com respaldo de técnicos ambientais, as árvores serão substituídas, tais como Nim Indiano e Castanhola. Nenhuma delas é tombada. Além disso, a administração municipal ressaltou que permanecerão as árvores nativas mais antigas, além de serem plantadas outras, como Oitis, Oiticica e Carnaúba.

Fonte: Sandy Swamy
Edição: Biá Boakari

Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas