Piauí tem maior índice de isolamento social do país em feriado antecipado

O percentual de isolamento mostra que quase metade da população piauiense está respeitando a recomendação de isolamento para diminuir o contágio pelo novo coronavírus.

19/03/2021 11:27h - Atualizado em 19/03/2021 11:31h

Compartilhar no

A antecipação do feriado do Dia do Piauí para essa quinta-feira (18) surtiu efeitos positivos no índice de isolamento social da população, como era esperado pelas autoridades estaduais. Segundo levantamento da plataforma Inloco, o Piauí registrou 44,90% de isolamento ontem, ficando no topo do ranking, à frente de todos os outros estados brasileiros, incluindo o Distrito Federal. Em segundo lugar, ficou o estado do Pará, com 43,03%, seguido do Amapá, com 41,98%.


Leia também: “Poderia ser meu filho”, diz técnica em enfermagem que atendeu paciente no chão

Foto: Arquivo O Dia

O percentual de isolamento mostra que quase metade da população piauiense está respeitando a recomendação de isolamento para diminuir o contágio pelo novo coronavírus e desafogar o sistema de saúde que está colapsado. Apesar disso, o índice ainda é considerado baixo se comparado a outros momentos da pandemia. No último domingo (14), por exemplo, o Piauí chegou a registrar uma taxa de 49% de isolamento social. 

A antecipação do feriado do Dia do Piauí tem como principal objetivo diminuir a propagação da covid-19 no Estado. Segundo a Secretaria de Estado de Saúde (Sesapi), as medidas adotadas para conter a segunda onda da doença, já começaram a surtir efeito. O índice de transmissibilidade do novo coronavírus caiu, após a adoção das restrições ampliando o distanciamento social. 

Segundo relatório elaborado pela Sesapi, na semana epidemiológica 10 (7 a 13 de março), o índice de transmissibilidade verificado foi de 1,33, uma sensível queda no comparativo com a semana anterior, que registrou índice 1,43.

“É o tipo de medida cujos resultados só vêm duas semanas depois. Com a fiscalização mais severa e toque de recolher, a tendência é seguirmos em queda”, avalia Ester Pereira, analista do Centro de Informações Estratégicas e Vigilância em Saúde (Cievs).

Os dados, baseados nos números de novos casos notificados, mostram que, na semana epidemiológica 8 (21 a 27 de fevereiro), correspondente ao período de carnaval, a taxa de transmissibilidade do coronavírus chegou a 1,20. Significa que cada 100 pessoas contaminadas, infectavam outras 120 pessoas. Foi quando o Governo do Estado passou a endurecer as medidas para quebrar o ciclo de transmissão do vírus. Entre as determinações, houve proibição de festas carnavalescas, restrições ao funcionamento de bares e restaurantes, retirada do ponto facultativo da terça-feira de carnaval, entre outras.

Os números comprovam a eficácia das medidas de afastamento social. A expectativa é obter, nos próximos dias, recuo também na quantidade de doentes hospitalizados, abrindo vagas em leitos clínicos e críticos.

“Como a transmissão do vírus é via gotículas, o afastamento social leva a uma redução natural de contágio. O que esperamos é uma diminuição gradativa com as medidas adotadas pelo governo”, reforçou Ester Pereira.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário