• SOS Unimed
  • Fagner
  • Trilha das emoções
  • Novo app Jornal O Dia

Com déficit de 5 mil PMs, Segurança pretende fazer novo concurso

Segundo o secretário de Segurança, será feita uma solicitação ao governador para abertura de novo concurso público.

07/06/2019 12:52h - Atualizado em 07/06/2019 13:15h

Em entrevista exclusiva ao O Dia News 1ª Edição, o secretário de Segurança Pública do Piauí, capitão Fábio Abreu, afirmou que pretende solicitar ao governador Wellington Dias a abertura de um novo concurso público para repor o quadro da Polícia Militar. Segundo ele, o déficit de policiais militares no estado é de cerca de 50% do efetivo.

“Pela lei teríamos que ter 11 mil policiais, na ativa nós temos 6 mil, quase 50% de déficit. Mas vamos buscar essa reposição, porque ainda tem a possibilidade de aposentadorias, é grande a quantidade de policiais que podem ou já se encontram na condição de aposentados”, enfatiza.

Na ocasião, o secretário também falou sobre a convocação dos aprovados no último concurso público da Polícia Civil para realização do curso de formação. Segundo ele, a previsão é de que o curso seja realizado no segundo semestre deste ano, mas a data ainda não está definida.

“Recebi da Nucepe o resultado, vou ao secretário de Administração e ao governador fazer a homologação”, explica. O concurso prevê vagas para os cargos de agente, escrivão e perito da Polícia Civil. De acordo com o secretário, a convocação dos aprovados e realização do curso de formação depende de apoio logístico e estrutura, e as datas devem ser definidas pelo governador Wellington Dias.

“Nós só vamos iniciar essa formação quando tivermos todo o apoio logístico necessário, com munição, alvo e toda a estrutura. Muito provavelmente será no segundo semestre, vai depender da resposta do governador em termos de data”, afirma.

Segundo ele, um dos entraves para a realização do curso está na liberação da munição utilizada pelos convocados. Para isso, seria necessária uma liberação específica do Exército Brasileiro, “além de outras burocracias”.


Por: Nathalia Amaral, com informações do O Dia News 1ª Edição.

Deixe seu comentário