Piauí gerou mais de 2 mil vagas de emprego em setembro

Dados do CAGED apontam que o setor do comércio e da reparação de veículos foi o que mais contratou ao longo do mês passado.

30/10/2020 07:55h

Compartilhar no

A economia começa a dar sinais de recuperação durante a crise sanitária do novo coronavírus e isso tem se refletido na geração de novos postos de trabalho e aumento na contratação de profissionais em vagas formais de emprego. O Piauí, ao longo do mês de setembro, abriu 2.476 vagas de emprego, segundo o que apontam os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) da Secretaria Especial do Trabalho e Emprego

Leia também: Trabalhadores informais invadem praças e ruas do Centro de Teresina 

Ao longo daquele mês, o Estado demitiu 7.672 pessoas, mas contratou outras 5.196, encerrando setembro com um saldo positivo na geração de empregos. Das mais de 2 mil novas vagas preenchidas, a maior parte se concentra no setor do comércio e da reparação de veículos automotores e motocicletas, que abriu 856 vagas de emprego formal. Em contrapartida, o segmento da agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e agricultura foi o que mais perdeu profissionais: foram 83 vagas a menos em setembro.


Foto: O Dia

Na série histórica, ou seja, no acumulado de 2020, o Piauí não conseguiu manter o mesmo desempenho registrado durante setembro. De janeiro até o último mês, o Estado contratou 54.989 trabalhadores formalmente no mercado, mas por outro, demitiu 59.327. Ou seja, em 2020, o Piauí mais perdeu vagas de trabalho do que criou: é um saldo negativo de 4.338 postos perdidos.

Apesar de ser considerado um número preocupante, o Piauí está entre os três estados da Região Nordeste com a menor perda de vagas formais no mercado de trabalho ao longo deste ano. O saldo piauiense é de menos 1,46 vagas, enquanto há estados com saldo negativo de 2,71, como Maranhão; e de 3,98, como Sergipe.

Leia também: IBGE: Piauí segue sendo o terceiro do país em taxa de informalidade

Teresina também manteve geração de emprego em setembro

Assim como o Piauí, a capital Teresina conseguiu manter um índice positivo na geração de emprego ao longo de setembro. Conforme aponta o CAGED, a cidade admitiu 4.889 trabalhadores formais no mercado e demitiu 3.263, o que levou à criação de 1.626 novas vagas. E assim como a nível de Estado, a geração de emprego em setembro em Teresina ainda não foi suficiente para elevar o índice de inclusão no mercado de trabalho acumulado ao longo de 2020.

É que de janeiro a setembro, a capital piauiense contratou 33 mil trabalhadores formalmente, mas demitiu outros 39.782, o que levou a um saldo negativo na geração de emprego na casa das 6.782 vagas perdidas.

Compartilhar no
Por: Maria Clara Estrêla

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário