Piauí é um dos 10 estados a não registrar casos de malária em 2019

Sem registro da doença, o estado acompanha o feito de outros nove estados que também não tiveram nenhuma notificação de malária, seis destes na região Nordeste.

26/04/2019 17:15h

Compartilhar no

Entre janeiro e março deste ano, o Piauí não registrou nenhum caso de malária. Em comparação ao mesmo período do ano passado, quando quatros casos foram registrados no estado, os números são considerados positivos pelos órgãos de acompanhamento de saúde no estado. Os dados foram divulgados hoje (25), no Dia Mundial da Malária, pelo Ministério da Saúde. 

Sem registro da doença, o estado acompanha o feito de outros nove estados que também não tiveram nenhuma notificação de malária, seis destes na região Nordeste. Além do Piauí, não foram registrados casos nos estados de Alagoas, Sergipe, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Paraíba, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Ceará. 

Segundo Ministério da Saúde, 31.782 novos casos de malária foram registrados este ano, representando uma redução de 38% em relação ao mesmo período do ano passado, quando 51.076 casos foram notificados. Em todo o ano de 2018, o país contabilizou 194.271 casos da doença.

De acordo com a Agência Brasil, os principais desafios citados pelo governo federal para o ano de 2019 serão voltados para a continuidade das ações de vigilância, melhorando a oportunidade de diagnóstico e tratamento; resposta rápida a surtos; mobilização social; e fortalecimento dos níveis locais. Em parceria com a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), a pasta tenta intensificar ações integradas de prevenção à malária com a atenção primária nos estados e municípios.

A malária é uma doença infecciosa febril aguda, causada por parasitos do gênero Plasmodium, transmitidos pela picada da fêmea infectada do mosquito gênero Anopheles. O paciente com malária não é capaz de transmitir a doença diretamente para outra pessoa – é preciso que haja a participação do vetor.

Entre os principais sintomas estão febre alta, calafrios, tremores, sudorese ou dor de cabeça. Algumas pessoas, antes de apresentarem esses sintomas, sentem náuseas, vômitos, cansaço e falta de apetite. A malária tem cura, mas se não for diagnosticada e tratada em tempo oportuno, pode evoluir para formas graves.

Algumas medidas de prevenção incluem o uso de mosquiteiros impregnados com inseticidas; o uso de roupas compridas que protejam pernas e braços; a instalação de telas em portas e janelas; o uso de repelentes; evitar exposição em horários de maior atividade do mosquito; borrifação intradomiciliar com inseticida de efeito residual; e drenagem de áreas alagadas consideradas de risco para a transmissão da doença.

Compartilhar no
Por: Nathalia Amaral, com informações da Agência Brasil.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário