Piauí é o estado do Nordeste que mais gerou empregos em junho, diz CAGED

O Estado terminou o mês com um saldo positivo de 4.597 vagas formais geradas no mercado de trabalho. Setor de Serviços foi o que mais contratou.

30/07/2021 11:22h

Compartilhar no

O Piauí fechou o mês de junho com um índice positivo na geração de empregos. Com 11.202 admissões, o Estado foi o que mais empregou profissionais no mercado de trabalho no sexto mês do ano. Em comparação com as 6.605 demissões, o estado teve um saldo de geração de emprego de 4.597 novas vagas preenchidas. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), da Secretaria Especial do Trabalho e Emprego.


Leia também: Caged: Brasil gera 309 mil empregos formais em junho 


No acumulado do ano, o Estado também manteve o saldo positivo: foram 57.084 contratações e 42.262 desligamentos, o que resultou em 14.281 vagas mantidas e um índice de 5% na variação relativa entre os desligamentos e contratações feitos de janeiro a junho de 2021. Com o desempenho, o Piauí se manteve também como o Estado do Nordeste que mais gerou emprego em 2021. O índice está acima inclusive do alcançado pelo Brasil (3,9%) e pelo Nordeste (2,7%).


Foto: Marcelo Casal Jr./Agência Brasil

Durante o mês de junho, a atividade econômica que mais empregou no Piauí foi o Setor de Serviços, que preencheu 1.658 postos formais no mercado de trabalho. Dentro deste segmento, o da Informação, Comunicação e Atividades Financeiras, Imobiliárias, Profissionais e Administrativas foi o que mais admitiu profissionais de carteira assinada: 1.057 contratações.

Em contrapartida, há um setor econômico que se manteve estagnado em junho no Estado: o segmento de serviços domésticos não demitiu profissionais, mas também não contratou ninguém naquele mês. E há ainda a Indústria Extrativa, que demitiu 10 profissionais no mesmo período.

Para Daniel Carvalho, superintendente do SINE-PI (Sistema Nacional do Emprego), o bom resultado apresentado pelo Piauí reflete os investimentos feitos pelo poder público e o avanço da campanha de vacinação contra a covid-19, que contribui para a retomada gradativa de mais e mais atividades econômicas.

“A área da Construção Civil, por exemplo, emprega muito e essa mão de obra consome também. Então o comércio local, os serviços, tendem a crescer juntos à medida que se vai investindo. Outro fator relevante é a vacinação. Quanto maior a fatia da população vacinada contra a covid, mais segurança para a volta ao trabalho e o crescimento do consumo”, avalia.

Seguro desemprego

Em junho, o Piauí foi o oitavo estado brasileiro com a menor quantidade de solicitações de seguro-desemprego, segundo os dados da Secretaria Especial do Trabalho e Emprego.Com 3.778 requerimentos de seguro-desemprego feitos ao longo de junho, o Estado registrou o menor índice de solicitações do ano. Para se ter uma ideia em junho de 2020, quando a pandemia caminhava para o pico de sua primeira onda, o Piauí registrou 5.305 solicitações de seguro-desemprego.

Compartilhar no

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário