• Clínica Shirley Holanda
  • Semana do servidor
  • Netlux
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Piauí é o 3º estado que mais exporta mel para o mundo

O Piauí exportou US$ 1,3 milhão, perdendo apenas para São Paulo e para o Rio Grande do Sul

14/07/2011 09:30h

Um levantamento realizado em maio, pela Central das Cooperativas do Semiárido, apontou o Piauí como o terceiro maior produtor de mel do Brasil, ficando atrás somente dos estados de São Paulo e do Rio Grande do Sul. As exportações do mel nacional atingiram US$ 8,1 milhões e um volume de 2.588.243 quilos, com aumento de 98,26% em valor e de 80,67% em peso na comparação com o mesmo período de 2010, segundo levantamento mensal do Sebrae.

O preço médio pago pelo mel exportado, em maio, foi de US$ 3,16, com queda de 0,63% na comparação com o mês anterior. Ainda em referência a abril, houve aumento de 0,17% no valor e de 0,83% no volume exportado. O diretor-geral da Central das Cooperativas Apícolas do Semiárido (Casa Apis), Antônio Leopoldo, explica que os números são recordes e que os estados com maior produção foram as molas propulsoras para esta elevação nas exportações. Provavelmente, em 2011, o Brasil terá uma safra recorde de seis mil toneladas do alimento. "Esse cenário positivo para a apicultura brasileira é a somatória do clima favorável, com boa distribuição das chuvas, e da demanda forte do mercado mundial".

O diretor explica ainda que o Brasil e alguns estados como o Piauí saem na frente pela qualidade climática e pela diminuição do desmatamento e de proteção de reservas ambientais. "Na maior parte do mundo não há área nativa para produção, o que para o Brasil significa um ponto positivo. Ainda temos muitas áreas disponíveis para crescer na produção de mel", acredita.

Ele lembra que a China é o maior produtor mundial do produto, mas que se trata de "artigo de baixa qualidade", ressalta Leopoldo. A Casa Apis fica no município de Picos, no Piauí. O Estado, juntamente com mais oito, formam a região do Semiárido, que responde por 40% da produção do mel brasileiro. Fazem parte da Central de Cooperativas cerca de 910 famílias.

Em 2010, o grupo exportou 14 contêineres, com 18,5 mil quilos cada. Em 2011, só neste primeiro semestre, já foram enviados para os Estados Unidos 17 contêineres e já há matéria-prima para mais 13 tanques.

Compradores

Os Estados Unidos foram o principal destino do mel brasileiro, com um total de US$ 5,7 milhões, respondendo por 70,3% da receita das exportações e pagando o preço de US$ 3,12/kg. A Alemanha ficou como segundo mercado, com receita de US$ 1,5 milhão, o equivalente a 18,4%, e pagando o melhor preço (US$ 3,22/kg). O Reino Unido absorveu US$ 387,7 mil dessas vendas, oferecendo US$ 3,20/kg. Outros países importadores de mel do Brasil foram França, Bélgica, Canadá, Espanha, França, Japão, China, Argentina, Peru e Paraguai.

Estados exportadores

Na produção interna, São Paulo ficou em primeiro lugar com US$ 2,5 milhões. O Rio Grande do Sul veio em segundo lugar com uma exportação de pouco mais de US$ 2,2 milhões, seguido pelo Piauí com US$ 1,3 milhão, Rio Grande do Norte (US$ 632.754), Ceará (US$ 612.704), Paraná (US$ 234.116), Minas Gerais (US$ 166 mil) e Santa Catarina (US$ 101 mil).

Fonte: Da Redação

Deixe seu comentário