• COMBATE AO MOSQUITO AEDES AEGYPTI 2019 - 2020
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Piauí deve receber chuvas mais intensas entre janeiro e fevereiro

A projeção foi baseada em um alerta divulgado pela Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), sobre o risco de chuvas intensas em Fortaleza, que deve alterar as condições climáticas do Piauí.

15/01/2020 15:09h

As chuvas no Piauí devem se intensificar durante a última semana de janeiro e os 15 primeiros dias de fevereiro, segundo análises feitas pelo professor e climatologista Werton Costa. A projeção foi baseada em um alerta divulgado pela Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), sobre o risco de chuvas intensas em Fortaleza, que deve alterar as condições climáticas do Piauí.

Werton Costa. Foto: Elias Fontenele.

“Mapas mostram um aumento da umidade, ou seja, muita água. Elas estão sendo canalizadas do oceano atlântico para o Nordeste, sobretudo para o Estado do Piauí, formando concentração de chuvas do Norte ao Centro-Norte. Os volumes são consideráveis para os próximos 30 a 45 dias”, conta.

Werton explica que os efeitos climáticos no Ceará impactam diretamente nos principais corredores de umidade no Piauí. Os corredores são responsáveis por produzirem nuvens de trovoadas.

“Considerando que tudo que acontece no Ceará, em termos de eventos meteorológicos, impacta no Piauí, a gente sabe que essa umidade da zona de Convergência Intertropical, quando adentra o Estado do Ceará, influencia nossos principais corredores de umidade. Esses corredores são alimentados por um plus de imunidade, que produzem as chamadas nuvens de trovoadas”, explica.

Ainda de acordo com Werton, as concentrações de chuvas estão baseadas em dois fatores: o aumento da temperatura do oceano atlântico e da aproximação da zona de Convergência Intertropical do Nordeste do país.

“A temperatura do oceano aumenta a concentração de evaporação e, consequentemente, de nuvens de temporal e a aproximação da zona deve atuar diretamente sobre o Nordeste, principalmente, se ela estiver mais ao Sul da sua posição climatológica”, conta.

Visando possíveis estragos em decorrência das fortes chuvas, a Prefeitura de Fortaleza adotou uma série de ações preventivas na cidade. De acordo com coordenador Especial de Articulação das Secretarias Regionais, Renato Lima, as ações começaram em agosto de 2020. Entre a ações, limpezas de bueiros, canais e lagoas. 

Edição: Adriana Magalhães
Por: Jorge Machado, do Jornal O Dia

Deixe seu comentário