• Piauí Férias de Norte a Sul
  • SOS Unimed
  • Ecotur 2019
  • Novo app Jornal O Dia

Piauí: casos de dengue quase duplicam em 2019

Os dados divulgados pela SESAPI mostram que no estado não houve registro de casos de Febre Amarela esse ano

17/06/2019 12:52h - Atualizado em 17/06/2019 15:12h

O Piauí já registra 3.703 casos de dengue nos primeiros cinco meses de 2019. Comparado a 2018, quando foram confirmados 1.274 infectados durante o ano todo, o que representa um aumento de 190,7% de notificações no mesmo período. Esses dados foram divulgados no 23° boletim epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde (SESAPI), os números apresentam as notificações dos casos de dengue, chikungunya, febre amarela e zika vírus no estado.

De acordo com o Supervisor de Vigilância em saúde, Ocimar Alencar, esse aumento comparado ao mesmo período de 2018, ainda pode crescer, “está acontecendo um aumento a cada semana, digamos que uma progressão geométrica. Isso se dá por diversos fatores, primeiro que já foi observado que a dengue ela aparece com mais frequência em ciclos, onde passam 2 a 3 anos tranquila, no 3 ano a coisa desanda, a gente não pode descartar também a falta de iniciativa das pessoas em cuidar do ambiente domiciliar e de trabalho” ressalta.

O Supervisor ainda acrescenta que outro fator são os tipos de dengue e a não preocupação das pessoas em fazer o que já é de conhecimento da população, como não deixar água parada, “nós temos 4 tipos de dengue, o tipo 2, há houve um aumento de números de casos em todo país, e muito provavelmente seja uma das causas, ele é mais agressivo, é a dengue com complicação, a dengue grave”, esclarece.

Só este ano forma confirmados 32 casos, destes 9 graves e um veio a óbito, os outros evoluíram positivamente. Ocimar, comenta que as pessoas se preocupam mais quando há casos que levam a morte ou no caso de grande exposição como houve com as crianças com microcefalia, “aquilo que não traz impacto negativo forte, a população fica mais tranquila, mas não deve por que todo caso começa como dengue, e pode evoluir para o grave, de acordo com a imunidade e idade da pessoa”, alerta. 

Os municípios que tiveram mais incidências de casos de dengue foram Pavussu, Curimatá, Alvorada do Gurguéia, Simplício Mendes e Cristino Castro. Os dados mostram ainda que na cidade de Bom Jesus, em 2018, teve um óbito e no primeiro semestre de 2019 foi registrado uma morte em Teresina.

O supervisor  de saúde ainda que ressalta que atenção deve ser diária, “nós não podemos oferecer condições para  o mosquito se proliferar, outra questão que também pode ser, é uma falta de gestão eficiente nos municípios no sentido de limpeza e abastecimento de água, e mesmo com maior acesso, as pessoas se acostumaram a armazenar água”, pontua.

Febre Amarela, Chikungunya, Zika Vírus

Já a Febre Amarela, em 2018 foram descartados 07 prováveis casos da doença e em 2019 não foi registrado nenhum. Outra informação importante publicada, é que nos casos de Chikungunya houve uma redução de 15,7% - tendo 2019, apresentado 300 casos- em relação ao mesmo período de 2018. Neste ano, os municípios com mais notificações foram Teresina, Pavussu e Marco Parente. Não registrando nenhum óbito pela doença.

Sobre a Zika Vírus, o boletim mostra que somente nos primeiros meses de 2019 os números de prováveis casos são 23, sendo que no ano de 2018 foram registrados 24 casos, isso significa que só este ano já possui 95% de notificações de Zika Vírus, relacionado aos doze meses de 2018.  Sendo que Oeiras, São Raimundo Nonato e Parnaíba são os municípios com mais anotações.

Edição: Viviane Menegazzo
Por: Sandy Swamy

Deixe seu comentário