Piauí apresentou aumento de mortes violentas em 2020

Em Teresina, o aumento dos Crimes Violentos Letais Intencionais foi de 25,31

12/01/2021 15:35h

Compartilhar no

As mortes violentas intencionaisapresentaram aumento no Piauí no ano passado. Os dados estão contidos no Relatório de Criminalidade de 2020, divulgado nesta terça-feira (12) pelo Núcleo Central de Estatística e Análise Criminal, da Secretaria de Estado da Segurança.


Leia tambémPiauí: casos de violência contra a mulher reduziram 7% em 2020 


Segundo o relatório, que comparou os números de 2019 com 2020, o crescimento foi de 21,12 % em homicídio doloso, feminicídio, roubo seguido de morte, estupro seguido de morte, infanticídio, dentre outros dos quais a morte decorre de uma agressão intencional. Em 2019, o estado teve 587 crimes, já em 2020 esse número saltou para 711 crimes.

Foto: Jailson Soares / O Dia 

Em Teresina, o aumento dos Crimes Violentos Letais Intencionais foi de 25,31 %. A zona Sul da capital apresentou crescimento de 36% e foi a região com a maior alta.  Por outro lado, o Núcleo de Estatística indicou que em Teresina houve uma redução de 26,31% no número de latrocínio e uma queda de 28,07% no número de roubo.

Para o secretário de Segurança Rubens Pereira, um dos motivos para o aumento das mortes está a saída de presos por causa da pandemia do novo coronavírus. O gestor explicou que as causas ainda estão em análise para que as forças de segurança do estado possam atuar para diminuir essas ocorrências.

“Estamos analisando as causas e atuamos na consequência. Temos algumas hipóteses para o aumento da criminalidade que, por exemplo, em março a partir da soltura de presos devido a pandemia, nos trouxe um problema de saúde pública que refletiu diretamente na segurança pública. Mas são apenas suposições, não queremos aqui buscar culpados, dentro dessa realidade vamos trabalhar com ações integradas com as instituições federais e municipais”, afirmou o secretário.

“Nós precisamos nesse momento fazer operações e investigações. O Piauí ainda se encontra numa situação melhor que outros estados, mas não deixa de ser preocupante e nós vamos atuar para que esses indicadores baixem”, concluiu Rubens Pereira.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Por: Otávio Neto, com informações da SSP

Deixe seu comentário