Piauí aparece entre os campeões de desmatamento da Mata Atlântica

Bioma é dizimado por carvoarias e campos de soja

04/06/2013 18:55h

Compartilhar no

O Piauí é um dos campeões nacionais de desmatamento da Mata Atlântica. Em apenas um ano – de 2011 a 2012 –, 2.658 hectares do bioma foram devastados. Parte dessa área deu lugar a campos de soja; outra foi consumida pelas carvoarias.

O “Atlas dos Remanescentes Florestais da Mata Atlântica”, divulgado na véspera do Dia Mundial do Meio Ambiente (5/6), mostra que restam somente 34% da área original de Mata Atlântica no Piauí. Todo o restante foi dizimado.

“As áreas do Piauí abrangidas pelo Mapa da Aplicação da Lei possuem formações florestais naturais características do bioma em bom estado de conservação, mas a pressão das carvoarias e agora também da soja é grande no Estado“, observa Marcia Hirota, diretora de Gestão do Conhecimento e coordenadora do Atlas pela SOS Mata Atlântica.

No ranking do desmatamento, o Piauí perde apenas para Minas Gerais e Bahia. Os mineiros são campeões do desmatamento pela quarta vez consecutiva, sendo responsável pela metade da destruição da Mata Atlântica no período analisado, com total de 10.752 hectares do bioma perdidos – o aumento na taxa de desmate no Estado foi de 70% comparado com o período anterior.

Em segundo lugar na lista, a Bahia perdeu 4.516 hectares de floresta nativa. O Piauí, monitorado pela primeira vez, perdeu 2.658 hectares e já ficou com o terceiro lugar no ranking.

Já os destaques positivos são Espírito Santo e Mato Grosso do Sul, que tiveram redução de desmatamento de 93% e 92% respectivamente.

Mais preservados

Os municípios brasileiros com maior porcentagem de vegetação nativa estão no Piauí: Tamboril do Piauí e Guaribas mantêm 96% da área original de Mata Atlântica. Guaribas também é o município com a maior área de vegetação nativa: 176.794 hectares.

Inclusão no Atlas

Os novos dados do “Atlas dos Remanescentes Florestais da Mata Atlântica” foram divulgados nesta terça-feira (04) pela Fundação SOS Mata Atlântica e Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

O levantamento apresenta, pela primeira vez, os remanescentes florestais do Piauí, que totalizam 34% da área original no Estado protegida pelo Mapa da Área da Aplicação da Lei da Mata Atlântica (11428/2006).

Com a inclusão do Piauí no levantamento e mapeamento de toda a área de aplicação da Lei da Mata Atlântica, a área original que resta do bioma em todo o país é de 8,5% – a Mata Atlântica é o bioma mais ameaçado do Brasil. Até o levantamento anterior, sem o Piauí, esse dado era de 7,9%. Se forem considerados todos os pequenos fragmentos de floresta natural acima de 3 hectares, o índice chega a 12,5%.

A versão atual do Atlas dos Remanescentes Florestais da Mata Atlântica abrange 17 estados (AL, BA, CE, ES, PI, GO, MS, MG, RJ, SP, PB, PE, PR, SC, SE, RN, RS). O Piauí foi incluído pela primeira vez após a realização do trabalho de campo para identificação dos remanescentes florestais e o lançamento da carta 1:1.000.000 de Vegetação da Folha SC.23 – Rio São Francisco. Volume 36 da Série Levantamento de Recursos Naturais – RADAMBRASIL pelo IBGE, confirmando a ocorrência da Floresta Estacional Decidual.

Compartilhar no
Por: Rômulo Maia

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário