Piauí ainda não registra bloqueios de caminhoneiros nas estradas, diz PRF

Fluxo no terminal de petróleo de Teresina e nas rodovias federais do interior segue normalmente durante esta manhã. PRF monitora.

09/09/2021 09:13h - Atualizado em 09/09/2021 11:25h

Compartilhar no

Desde o dia 7 de setembro, durante as manifestações convocadas pelo presidente Jair Bolsonaro, caminhoneiros têm feito bloqueio em rodovias federais de pelo menos 15 estados de acordo com o levantamento do Ministério da Infraestrutura. O protesto continua mesmo após Bolsonaro ter divulgado um áudio pedindo que os caminhoneiros liberem as estradas do país. O presidente os trata como aliados e apela que para que os manifestantes desobstruam as vias porque “atrapalha nossa economia”.


Foto: Polícia Rodoviária Federal do Piauí

Aqui no Piauí ainda não há postos de bloqueio nem interdição de rodovias por caminhoneiros segundo o que informou a Polícia Rodoviária Federal (PRF-PI). Foi identificada uma interdição na altura do quilômetro 30 da BR-316 próximo ao município de Demerval Lobão, onde populares fecharam a via e atearam fogo em pneus e pedaços de paus. No entanto, a PRF ainda está checando a natureza do movimento e disse que, até o momento, não há relação com o protesto dos caminhoneiros.

Vídeos divulgados pela PRF mostram a movimentação de caminhões petroleiros no terminal de petróleo de Teresina na BR-344. O fluxo de veículos segue normalmente. No interior do Piauí também não há registros de manifestações de caminhoneiros.

Bolsonaro fez apelo aos caminhoneiros

Nesta quarta-feira (08), o presidente Jair Bolsonaro divulgou um áudio no qual trata os caminhoneiros como aliados e apela para que os manifestantes desbloqueiem as vias porque a paralisação atrapalha a economia. “Fala para os caminhoneiros aí que são nossos aliados, mas esses bloqueios atrapalham nossa economia. Isso provoca desabastecimento, inflação, prejudica todo mundo, em especial os mais pobres. Dá um toque nos caras aí para liberar. Deixa com a gente em Brasília aqui agora. Não é fácil negociar com outras autoridades, mas vamos fazer nossa parte, vamos buscar uma solução para isso", afirma o presidente no áudio.

Em um vídeo divulgado pelo Ministério da Infraestrutura, o ministro Tarcísio de Freitas confirmou a autenticidade  do áudio enviado pelo presidente e reforçou o apelo pela liberação das vias por parte dos caminhoneiros. A paralisação ia agravar os efeitos na economia, que ia impactar os mais pobres, os mais vulneráveis. Já temos hoje um efeito no preço dos produtos em função da pandemia", diz o ministro.


Foto: Polícia Rodoviária Federal do Piauí

Já são registrados pontos de concentração dos caminhoneiros em nos Estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, Espírito Santo, Mato Grosso, Goiás, Bahia, Minas Gerais, Tocantins, Rio de Janeiro, Rondônia. Maranhão, Roraima, São Paulo e Pará.

Ainda ontem (08), o caminhoneiro Marcos Antônio Pereira Gomes, conhecido como Zé Trovão, publicou vídeo nas redes sociais apelando para que Bolsonaro reconsidere a mensagem enviada no áudio e pediu que os manifestantes bloqueiem “todas as bases brasileiras” a partir das  6h de hoje (09). "Tem gente ligando ai mandando desmobilizar as paralisações, mas não vamos aceitar. Fecha tudo”, disse Zé Trovão.

Compartilhar no
Fonte: Com informações do Estadão Conteúdo

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário