• SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

PI recebe novos radares que não geram imagens ao autuar condutores

Além dos radares fixos e estáticos, Estado vai receber os radares portáteis.

10/07/2014 11:21h - Atualizado em 10/07/2014 12:40h

Adquirido através do Ministério da Saúde, por meio do Projeto Vida no Trânsito, Piauí recebe os radares portáteis. Os treinamentos para implantar esses equipamentos foram feitos em conjunto pela PRF, Strans e PM. Os radares portáteis são mais leves e fáceis de manusear, mas a grande novidade é que os equipamentos não geram imagem e servem para captar apenas excesso de velocidade. A identificação do veículo infrator é feita por agente de trânsito.

Fotos: Jailson Soares

O cidadão conhece o equipamento fixo e o estático, que fica nas margens de rodovias com tripé, e agora a novidade é o radar portátil. “A grande diferença é que o equipamento é mais leve e não gera imagens. As eventuais infrações que ocorrerem a partir de agora vão vir sem imagem,  apenas com a nota. Agora saímos da necessidade de veicular imagens”, explica o consultor técnico da GRSP, empresa que financia os novos radares, Luís Otávio Miranda.

O consultor técnico explica ainda que a finalidade do aparelho é identificar possíveis excesso de velocidade, além de implementar novas práticas de fiscalização porque é extensivo, marcando presença em qualquer lugar com o intuito de promover segurança no trânsito e reduzir acidentes.

Luís Otávio Miranda mostra o equipamento e conta suas vantagens.

A regulamentação de instaurar radares portáteis foi estabelecida no final de 2012 pelo Conselho Nacional de Trânsito. “Apesar de que a regulamentação não foi estabelecida de hoje, e que Teresina está dando um grande passo à frente de várias outras cidades, ainda haverá contestações pelo não uso da imagem. Mas isso não é um privilégio brasileiro, tanto que a legislação oferece ao individuo a oportunidade da defesa”, conta Luís Otávio.

O comandante da Companhia Independente de Trânsito, Ciptran, Major Adriano Lucena analisa que os radares fixos e moveis têm limitações de local e horário, diferentemente do portátil. “Agora, o que vai ditar onde hora e lugar são as estatísticas. As vias com maiores números de acidentes receberão os radares, é uma forma de estratégia para diminuir os acidentes”, conta. 

Comandante da Ciptran também acrescentou vantagens do novo radar.

Major Lucena acrescenta que as infrações mais cometidas pelo teresinense são o não uso do capacete e a condução de veículos sem CNH. Porém, as maiores causas de acidentes são o excesso de velocidade. 

De acordo com o inspetor Veloso, da Polícia Rodoviária Federal, o Piauí possui quatro equipamentos estáticos operando desde fevereiro no Estado e a PRF fez 4.462 registros de imagens desde aquele mês até hoje. Ele analisa que o radar portátil é um excelente aparelho, com tecnologia de ponta e de grande precisão, além de ser fácil de operar. “Esses radares são melhores porque os condutores já sabem onde ficam os radares fixos e cessam a velocidade apenas nesses pontos, com o radar portátil, não vai ter como fazer isso e acredito que evitaremos mais acidentes”, afirma.

Inspetor Veloso, da PRF, celebra vantagens do radar já usado, mas não descarta qualidades do novo portátil.

Por: Beto Marques (do local) e Maria Luiza Moreira (redação)

Deixe seu comentário