Pai de Júnior Araújo chora e diz que doar os órgãos do filho conforta

Ele declarou que a doação é uma forma de ajudar outras pessoas e de atender a um desejo do próprio filho; "Foi um pedaço de mim", disse

30/06/2016 11:26h - Atualizado em 30/06/2016 13:30h

Compartilhar no

Francisco das Chagas, pai de Júnior Araújo, falou com a imprensa na manhã desta quinta-feira (30). Chorando muito, ele declarou que a doação dos órgãos é uma forma de ajudar outras pessoas e de atender a um desejo do próprio filho. “Estamos sofrendo, mas sei que era o que ele gostaria de fazer. De certa forma, isso me conforta porque sei que foi feita alguma coisa por alguém”, declarou.


Ele também falou sobre a revolta que sente e fez um apelo. “A legislação tem que mudar, porque é um absurdo um assassino desses fazer o que fez com meus dois filhos, matou os únicos que eu tinha. Ele tinha intenção de matar, porque se embriagou a andava a 160 km/h dentro de uma cidade”, disse Francisco das Chagas.

Muito emocionado, o pai lembrou como os filhos eram responsáveis. “Não tem mais sentido viver, porque meus dois filhos eram minha vida. Responsáveis, alegres e esforçados pelos seus trabalhos. Eles estudavam e faziam as coisas com responsabilidade. Bruno nem mesmo passava no sinal amarelo. Era ele quem sempre dirigia pra mim, quem resolvia minhas coisas. Foi embora um pedaço de mim”, afirmou.

Fotos: Assis Fernandes/ODIA

Segundo o médico Fábio Marcos, diretor técnico do HUT, as vítimas de politraumas, como é o caso de Júnior Araújo, são os doadores de órgãos mais indicados, pois geralmente não possuem contraindicações para a captação, como ocorre quando os pacientes sofrem algum comprometimento infeccioso.

Ele destacou a nobreza da atitude da família, ao autorizar a doação. “Não é fácil nesse momento de maior dor, mas essa decisão vai beneficiar um número enorme de pacientes”, disse o médico.

Em Teresina, é feita a captação de rins, fígado e córneas, mas não de coração. Segundo Fábio Marcos, rins e fígado precisa ser retirado com maior rapidez, mas as córneas podem esperar mais algum tempo. “Após a captação, fazemos a conservação dos órgãos e entramos em contato com as instituições para definir o destino dos órgãos”, explica.

O diretor do HUT, Gilberto Albuquerque, afirmou que até o final da tarde será possível concluir o procedimento. “A equipe vaia avaliar a situação dos órgãos. Um dos olhos poderá não ser utilizado, devido ao trauma sofrido. Mas os rins, o fígado e uma das córneas deverão ser doados”, disse o médico.

Jader Damasceno

O único sobrevivente do acidente provocado por Moaci Moura, Jader Damasceno, permanece melhorando a cada dia. Pela manhã, ele fez uma endoscopia, mas ainda falta repetir exames na cabeça e no tórax, o que acontecerá no início da tarde. A cirurgia da perna está prevista para acontecer no fim da tarde, mas ainda não há informações sobre o horário.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Por: Nayara Felizardo e Maria Clara Estrêla

Deixe seu comentário