Operação Ibi Clausus: MP denuncia ex-prefeitos do Piauí por desvios de recursos

Segundo o MP, esquema criminoso chefiado pelo ex-prefeito do município de Passagem Franca, Raislan Farias dos Santos, e pelo ex-prefeito de Agricolândia, Walter Ribeiro Alencar, desviou mais de R$ 6 milhões

21/06/2021 16:35h - Atualizado em 22/06/2021 08:27h

Compartilhar no

O Ministério Público do Piauí (MP-PI), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), ofereceu nesta segunda-feira (21) denúncias de desvios de recursos públicos chefiado pelo ex-prefeito do município de Passagem Franca, Raislan Farias dos Santos, e pelo ex-prefeito de Agricolândia, Walter Ribeiro Alencar. Estima-se que foram desviados, aproximadamente, R$ 6.261.265,90 dos cofres públicos.

Foto: Divulgação/MPI

As denúncias criminais contra os ex-gestores são oriundas da conclusão da Operação Ibi Clausus, que iniciou em outubro de 2020. Segundo o MP, a organização era constituída também por servidores municipais e pessoas que montaram empresas fantasmas, assinando contratos com o município de Passagem Franca.

Pela complexidade do esquema, a operação foi desdobradas em fases, a partir dos núcleos de atuação, o que resultou no oferecimento de três denúncias criminais perante o juízo de Passagem Franca.

O Ministério Público informou que a investigação concluiu que existia uma organização criminosa responsável pela criação de empresas fictícias criadas para vencer licitações fraudadas e desviar recursos públicos por meio de subcontratações, sem a execução do objeto contratado e com sobrepreços.  

O processo de investigação apontou ainda que muitas das empresas eram integradas por familiares ou pessoas com relacionamento direto com os gestores, com a utilização de servidores para repasse dos recursos públicos desviados.

Preso por compra de votos 

Em outubro de 2020, Walter Alencar, e sua esposa, Kelly Alencar, foram presos por suspeita de compra de votos  durante operação realizada pela Gaeco. Na época, o promotor Mário Normando, informou que na residência do prefeito e da primeira dama foram encontradas anotações de eleitores e possíveis vantagens que essas pessoas receberiam em troca de votos. Além disso, foi apreendido R$ 87 mil em espécie e R$ 47 mil em cheque.

A reportagem do Portal O Dia não conseguiu contato com a defesa dos acusados. 

Compartilhar no
Fonte: Com informações do MP-PI

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário