Número de homicídios no Piauí reduziu 9,3% entre 2014 e 2015

Levantamento mostra que as principais vítimas deste tipo de crime são homens negros entre 15 e 29 anos. Feminicídio registrou aumento de 7% em apenas um ano.

05/06/2017 14:50h - Atualizado em 05/06/2017 15:42h

Compartilhar no

O Piauí reduziu em 9,3% sua quantidade de homicídios entre os anos de 2014 e 2015, é o que aponta Atlas da Violência no Brasil, divulgado nesta segunda-feira (05) pelo Fórum Nacional de Segurança Pública. De acordo com o levantamento, em 2014, o Estado registrou, em números absolutos, 717 mortes, e em 2015 essa quantidade decresceu para 650. Em contrapartida, observando-se os últimos cinco anos (2010 a 2015), o Piauí teve aumento de 54% na taxa deste tipo de crime.

As principais vítimas de homicídio no Estado continuam sendo pessoas que possuem entre 15 e 29 anos. Segundo o Atlas, das 717 pessoas assassinadas em 2014 no Piauí, 392 fazem parte desta faixa etária, e das 650 que foram mortas em 2015, pelo menos 328 tinham entre 15 e 29 anos. Em números percentuais, isso significa dizer que 47,3 a cada cem mil vítimas de homicídio tinham de 15 a 29 anos em 2014, e que em 2015 esta taxa reduziu para 40 a cada cem mil vítimas.

Um dado que chama atenção no perfil das vítimas de homicídio no Estado diz respeito ao fato de que a grande maioria delas são homens. 89,2 a cada cem mil pessoas mortas em 2014 no Piauí eram do sexo masculino, e em 2015 embora tenha havido redução no índice (menos 17,7%), ele continuou sendo alto: 73,4 a cada cem mil vítimas daquele ano se enquadravam eram homens.


Foto: Arquivo O Dia

Um índice preocupante revelado pelo Atlas da Violência no Brasil é que, além das principais vítimas deste tipo de crime no Piauí ser do sexo masculino, em sua maioria, elas também são negras. A taxa de pessoas negras entre 15 e 29 assassinadas no Estado em 2014 foi de 24,4 a cada cem mil habitantes, e em 2015 esse índice era de 21,7 a cada cem mil. A variação, embora tenha sido positiva no sentido de que houve diminuição nas mortes, mascara uma outra realidade: na última década, o número de pessoas negras assassinadas no Piauí subiu 69%.

No que diz respeito à quantidade vítimas não-negras, os números já apresentam outra realidade: em 2014, as vítimas de homicídio no Piauí que tinham esse perfil representavam 5,6 a cada cem mil habitantes. Já em 2015, esta taxa subiu para 8,6 a cada cem mil, ou seja, uma variação positiva de 53%.


Foto: Jailson Soares/O Dia

Feminicídio

Um dado que chama bastante atenção no Atlas da Violência diz respeito ao aumento considerável nas taxas de feminicídio no Piauí ao longo dos últimos anos. Entre 2014 e 2015, a taxa de mulheres que foram assassinadas no Estado subiu 6,3% (passando de 63 para 67 em um ano). No entanto, numa análise detalhada deste tipo de crime na última década no Piauí, o aumento do feminicídio foi de 67,5%. Essa taca coloca o Piauí no grupo dos 12 Estados com o maior crescimento na taxa de assassinato de mulheres ao longo dos últimos dez anos.

O perfil das mulheres que são vítimas de assassinato no Piauí é semelhante ao observado para o sexo masculino: a grande maioria é negra: 4,1 mulheres negras foram assassinadas para cada grupo de cem mil habitantes no Piauí em 2014. Em 2015, essa taxa foi de 4,4 para cada cem mil habitantes, ou seja, houve uma variação positiva de 7% em apenas um ano neste tipo de crime.


Foto: Jailson Soares/O Dia

Crimes com arma de fogo

Apesar de que de 2014 para 2015, o Piauí tenha reduzido o número de homicídio por arma de fogo em 12,1%, olhando-se para a última década no Estado, a taxa deste tipo de crime teve um aumento de 164,9%.

Compartilhar no
Por: Maria Clara Estrêla

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário