Número de estabelecimentos de hospedagem cresce 38,8% no Piauí em 5 anos

Segundo a pesquisa do setor hoteleiro do IBGE, o Estado possui atualmente 376 estabelecimentos de hospedagem, mas a participação no número nacional não chega a 2%.

20/07/2017 15:45h

Compartilhar no

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta quinta-feira (20) os dados da Pesquisa Brasileira do Setor Hoteleiro. De acordo com o levantamento, o Piauí apresentou um crescimento de 38,8% na quantidade de estabelecimentos de hospedagens nos últimos cinco anos, fechando 2016 com um total de 376 hospedarias. Apesar do dado ser considerado positivo, a participação piauiense no setor de hotelaria brasileiro permanece em apenas 1,2%, enquanto a participação no Nordeste chega a somente 5,1%.

Com relação à capacidade dos estabelecimentos de hospedagem, o Piauí apresenta, segundo o IBGE, 8.802 unidades habitacionais, o que representa uma participação de apenas 0,8% no número nacional e de 4,0% nos números do Nordeste. O Piauí é o estado nordestino com a menor quantidade de unidades habitacionais. Bahia, Pernambuco e Ceará são os que concentram o maior número: 74.539, 32.076 e 31.983 respectivamente. Apesar dos números, o Piauí teve um aumento de 23,5% na quantidade de unidades habitacionais nos últimos cinco anos.

Ainda na esteira, o Piauí é um dos Estado brasileiros que apresentam as menores quantidades de leitos disponíveis. Com um total de 20.819, o setor hoteleiro piauiense fica na frente apenas do Acre (6.927) e de Roraima (3.407). Com relação à participação do Estado no Brasil, a quantidade de leitos disponíveis representa apenas 0,9% do total de leitos em todo o país e apenas 3,9% do total disponível no Nordeste. No entanto, nos últimos cinco anos, houve uma evolução de 19,9% no total de leitos disponíveis no Estado.

Mesmo com o aumento nos estabelecimentos de hospedagem, nas unidades habitacionais e quantidade de leitos disponíveis que o levantamento do IBGE constatou, o Piauí também apresenta um dado não muito animador: a média de unidades habitacionais é apenas de 23 por estabelecimento de hospedagem no Estado. Isso coloca o Piauí como o último do ranking brasileiro. Em todos as outras unidades da Federação, esta média fica acima de 25 e a média nacional é 32. Para efeito de comparação, o Distrito Federal, sozinho, tem uma média de 65 unidades habitacionais por estabelecimento de hospedagem.

Os serviços de hospedagem encontram-se no último elo da cadeia de serviços turísticos e configuram-se como um dos mais importantes, pois representam a base de permanência do turista que, de uma forma geral, busca encontrar uma extensão de sua residência, ou seja, serviços que reproduzam o mesmo padrão de conforto de sua moradia habitual.

Em termos de organização das atividades econômicas que configuram os serviços empresariais e financeiros, os serviços de hospedagem inserem-se no conjunto dos serviços prestados às famílias e, nesse conjunto, destaca-se como o segundo maior gerador de postos de trabalho, com mais de 376 mil pessoas ocupadas até o final de 2014.


Compartilhar no
Por: Maria Clara Estrêla

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário