Nova carteira de identidade começará a ser emitida em julho

Em Teresina, o primeiro posto a emitir RG com o novo sistema será o Instituto de Identificação João de Deus Martins, localizado no Centro.

29/04/2014 07:06h

Compartilhar no

O Sistema de Identificação Civil, desenvolvido pela Agência de Tecnologia da Informação do Piauí (ATI), vai permitir a coleta digital de dados dos piauienses que solicitarem a emissão da primeira e segunda via da carteira de identidade. A Secretaria Estadual de Segurança tem um prazo de 60 dias para começar o atendimento ao público com este novo sistema, que será implantado, gradualmente, nos postos de identificação de todo o Estado. Em Teresina, o primeiro posto a emitir RG com o novo sistema será o Instituto de Identificação João de Deus Martins, no Centro da cidade.

Thiago Siqueira, diretor da ATI, esclarece que os piauienses não precisam emitir uma nova carteira de identidade. “Nos arquivos do Instituto de Identificação existem três milhões de dados armazenados que serão digitalizados através do Sistema de Identificação Civil. O funcionamento do novo sistema não obriga aos piauienses a emissão de novas carteiras de identidade. Apenas a população que vai emitir a carteira de identidade pela primeira vez ou precisar da segunda via do documento é que vai realizar o processo através do novo sistema”, explica.

Foto: Jailson Soares/O Dia


Siqueira explica que o novo sistema põe fim a coleta de impressões digitais com tinta e a entrega de foto 3x4

Com o Sistema de Identidade Civil (SIC), antigas práticas como a coleta das impressões digitais com tinta e a entrega da foto 3x4 serão extintas. “O sistema faz a coleta digital dos dados utilizando a mesma tecnologia que a justiça eleitoral usou na biometria. No cadastro, são colhidas as impressões digitais pelo aparelho biométrico, a foto é tirada na hora e a assinatura é digital. Com essas mudanças, a cédula de identidade vai ter pequenas alterações visuais. A Secretaria de Segurança tem o prazo de 60 dias para adquirir os equipamentos e treinar os profissionais que vão atender a população”, pontua Thiago Siqueira.

O diretor da ATI destaca que o Piauí, agora, está entre os estados que já utilizam a coleta digital e bancos de dados na emissão de registro geral. “Os estados do Paraná e Rio Grande do Sul já vivem essa realidade. Todos os postos de identificação do Estado vão operar com o Sistema de Identificação Civil”, reforça. O SIC foi desenvolvido pela equipe técnica da Agência de Tecnologia da Informação e custou R$ 290.

Para Thiago Siqueira, a vantagem do sistema digital de emissão de carteira de identidade é criar um banco de dados da população piauiense. “Essas informações são importantes, sobretudo, para os órgãos do Governo do Estado, nas áreas de saúde, educação e segurança, que terão acesso a esse banco de dados da população. Pelo sistema, também é possível fazer cruzamento de dados com órgãos do governo federal e evitar a circulação de documentos falsos”, conclui.

Compartilhar no
Por: Andressa Figuerêdo - Jornal O Dia

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário