• SOS Unimed
  • Fagner
  • Trilha das emoções
  • Novo app Jornal O Dia

Setor de serviços tem redução de 5,5% no primeiro semestre

Apesar da queda, dados divulgados pelo IBGE apontam que o setor apresentou melhora no mês de julho em comparação ao mês anterior.

13/09/2019 13:02h - Atualizado em 13/09/2019 18:38h

A Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) divulgada nesta sexta-feira (13) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostra que houve uma redução de 5,5% do volume de serviços do Piauí, no acumulado de janeiro a julho de 2019, frente ao mesmo período do ano anterior.


Leia também:

Além do Piauí, outras 17 unidades da federação tiveram rendimento negativo no primeiro semestre. Apesar disso, o país conseguiu ter avanço no período, com aumento de 0,8% no volume de serviços, concentrado em 10 estados.

Na comparação com igual mês do ano anterior, o volume de serviços no Piauí teve uma redução de 3,0%, assim como outras 12 unidades da federação.

Já na comparação com o mês imediatamente anterior, o mês de julho apresentou resultados positivos, com expansão de serviços calculada positivamente em 7,1%. Apenas os estados de Pernambuco e Rondônia tiveram retração no período avaliado.

Entre as atividades do setor estão serviços de transporte, correio e informação. (Foto: Arquivo O Dia)

Para o economista Ricardo Alaggio, a queda do desempenho do Piauí se deve a três fatores. Um deles é a dependência do Estado ao Governo Federal, o que teria ocasionado uma redução da atividade econômica. Além do PIB do Estado, que segundo ele, está em queda.

“O Piauí é o estado mais dependente do Governo Federal. Dezenas de programas do Governo Federal não estão sendo repassados e isso tem um impacto sobre o Estado”, afirma, acrescentando que, apesar de não termos ainda a avaliação do PIB piauiense em 2019, a previsão é de que o indicador está em queda.

O último ponto destacado pelo economista diz respeito à queda da economia. Com a baixa inflação do setor, as empresas estão com dificuldades em repassar preços ao consumidor.

 “Eles não conseguem repassar os custos e a atividade como um todo cai. A atividade de serviços, que é a mais competitiva, tem alta dificuldade de passar a inflação para os preços e isso leva à queda no setor”, destaca.

Para o economista Ricardo Alaggio, a recuperação do setor de serviços só é possível através do aumento da renda média do piauiense. “São setores competitivos, têm milhares de pessoas trabalhando nesse tipo de serviço. Os grandes empregadores não estão aumentando salário, que é o Governo Federal e o Estado, então a demanda cai, porque não tem renda e só melhora com a recomposição dessa renda”, finaliza.

Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) 

A Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) leva em consideração o universo das empresas que possuam 20 ou mais pessoas ocupadas e cuja receita provenha predominantemente da atividade de prestação de serviços. Entre as atividades do setor estão serviços de transporte, correio e informação. 


Por: Nathalia Amaral

Deixe seu comentário