No Piauí, 19% dos advogados apresentam algum diagnóstico de saúde mental, diz pesquisa

Os dados foram coletados entre outubro de 2020 e abril de 2021, ouvindo 365 advogados do Estado.

16/07/2021 12:39h

Compartilhar no

Segundo pesquisa realizada por uma empresa mental healthtech, de outubro de 2020 a abril de 2021, 19% dos advogados do Piauí possuem algum tipo de diagnóstico de saúde mental, destacando-se transtornos de ansiedade, como depressão, burnout ou síndrome do pânico. O levantamento ouviu 365 advogados do Estado, e contou com a assistência da Caixa de Assistência dos Advogados do Piauí (CAAPI).

Os dados fazem parte da primeira fase do programa LegalMente, desenvolvido pela empresa, onde revela que o estresse e ansiedade foram acentuados durante a pandemia de Covid-19, além de outros novos elementos, como a necessidade de adaptação ao trabalho virtual e a convivência com a insegurança e o temor pela própria vida e a dos entes queridos. 

(Foto: Reprodução/OAB-PI)

Já a Covid-19 teve impacto significativo na vida de 28% da população dos profissionais pesquisados, principalmente pela existência de familiar ou amigo próximo contaminado. Cerca de 66% disseram sentir efeito da pandemia sobre a profissão, seja pela necessidade de adaptação do trabalho remoto, ou seja pela perda do emprego.

“Desde 2019, já tínhamos a questão da saúde mental da advocacia como um dos eixos basilares de gestão, por isso demos início a esse projeto. As informações coletadas neste projeto serão essenciais para que, a partir de agora, possamos pensar políticas específicas nesse campo, já que temos dados por região”, afirma a presidente da CAAPI, Andréia Araújo. 

O projeto, que tem objetivo traçar perfil detalhado sobre a saúde mental dos advogados da Capital e interior piauiense, promove ações de atenção psicológica específicas em benefício da classe.

Compartilhar no

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário