No dia do Orgulho LGBT, entidades fazem evento para promover direitos

Prefeitura e Estado se uniram com movimentos sociais para dar orientações e levar informações para a população sobre os direitos LGBT.

28/06/2017 18:25h

Compartilhar no

Nesta quarta-feira é comemorado o Dia Mundial do Orgulho LGBT. Para celebrar a data promover a cidadania para este público, a Prefeitura de Teresina, por meio da Semtcas (Secretaria Municipal de Trabalho, Cidadania e Assistência Social), e o Governo do Estado, por meio da Sasc (Secretaria de Assistência Social), estão realizando atendimentos e levando uma série de atividades ao Parque Poticabana durante a noite de hoje.

O objetivo principal da ação é promover um diálogo entre o poder público e sociedade civil sobre as necessidades de se implantarem políticas mais efetivas para combater o preconceito contra o público LGBT, além de levar às pessoas informação a respeito da causa, bem como repassar orientações às vítimas de crimes de gênero. No local foi montado um stand do SAMVVIS (Serviço de Apoio à Mulher Vítima de Violência Sexual) para realização de atendimentos.


Foto: Nathalia Amaral/O Dia

“Estamos aqui para reafirmar nosso compromisso e trazermos serviços para mostrar para as pessoas que não existe fundamento no preconceito, porque embora o Estado tenha avançado nas políticas públicas LGBT, o Piauí ainda é um dos mais violentos do Brasil nesse aspecto.  Tem a violência física, a violência instituição e a negligência, que precisam ser combatidas, e a melhor forma de se fazer isso é levando informação para as pessoas”, é o que afirma Deusa Fernandes, da Gerência de Direitos Humanos da Semtcas.

Quem também está presente no evento na Poticabana é o Conselho Municipal LGBT. Para o coordenador do Centro de Referência LGBT e presidente do Conselho, Victor Kozlowski, a mobilização no dia de hoje se faz necessária para fins de políticas públicas e só a parceria entre o Estado e Município pode resultar em medidas mais efetivas neste sentido.

Victor diz que as ações são muitas, mas que Teresina e o Piauí ainda têm muito que avançar na afirmação e no reconhecimento do público LGBT na sociedade. “É tudo uma questão de falta de informação e de conhecimento e em um contexto assim, pessoas preconceituosas acabam por disseminar ideias equivocadas e isso é grave. Pode levar inclusive à cassação de direitos e o mais preocupante é que temos representantes do povo, membros do nosso Parlamento, que elaboram leis e que são contrários aos direitos de todos e de todas”, é o que diz Victor.

O atendimento da Sasc e da Semtcas dura toda a noite de hoje (28) na Poticabana e além das orientações com as equipes do SAMVVIS e do Conselho Municipa LGBT, a programação inclui ainda shows e a tradicional Gaymada.

Compartilhar no
Por: Maria Clara Estrêla e Nathalia Amaral

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário