• Premium Outlet
  • Salve Maria
  • Jovens escritores 2019
  • Banner paraíba
  • AZ no rádio
  • cachoeir piaui
  • Novo app Jornal O Dia
  • TV O DIA att
  • TV O Dia - fullbanner

Município disponibiliza número 153 para denúncia de casos de LGBTfobia

Número permite o contato direto com a Gerência de Direitos Humanos (GDH) do órgão, setor ao qual estão vinculados todos os conselhos municipais que defendem direitos.

17/05/2019 17:39h

Nesta sexta-feira (17) é celebrado, internacionalmente, o Dia contra a Homofobia. E uma das principais formas de auxiliar as pessoas que sofrem violência - seja física, mental ou emocional - por conta da orientação sexual, é denunciar os casos para o poder público.

Em Teresina é oferecido ao público o número 153, para o recebimento de denúncias deste tipo, além de outras violações de direitos.

O número 153 é disponibilizado pela Secretaria de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), e permite o contato direto com a Gerência de Direitos Humanos (GDH) do órgão, setor ao qual estão vinculados todos os conselhos municipais que defendem direitos, inclusive o Conselho Municipal de Direitos de Gays, Lésbicas, Travestis e Transexuais (CMDLGBT). As ligações são gratuitas e o sigilo da identidade do denunciante é mantido.

“É uma forma do poder que o poder público encontrou de acompanhar os casos de LGBTFobia. É pra esse número que os LGBT's devem se dirigir quando sofrerem algum tipo de violência, seja em casa ou na rua”, reforça Anderson Lafeli, presidente do CMDLGBT.

A população pode denunciar também por meio do Disque Direitos Humanos, o Disque 100, serviço nacional de atendimento telefônico gratuito, que funciona 24 horas por dia, nos sete dias da semana.

As denúncias recebidas são analisadas, tratadas e encaminhadas aos órgãos de proteção, defesa e responsabilização em direitos humanos, no prazo máximo de 24 horas, respeitando a competência e as atribuições específicas, e priorizando qual órgão será direcionado de forma imediata no rompimento do ciclo de violência e proteção da vítima.


Deixe seu comentário