MPPI recomenda que Hemopi aceite doações de sangue de pessoas LGBTQ+

Na segunda-feira (11), sete dos onze ministros do STF derrubaram as normas que impediam homens gays de doarem sangue pelo período de um ano depois da sua última relação sexual

13/05/2020 15:11h - Atualizado em 13/05/2020 15:17h

Compartilhar no

Depois que maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiram votar para permitir a doação de sangue por homens homossexuais, o Ministério Público do Piauí (MP-PI) recomendou que o Centro de Hematologia e Hemoterapia do Piauí (Hemopi) aceite imediatamente doações por pessoas do segmento LGBT. A ação foi instaurada pela 49ª Promotoria de Justiça de Teresina.

Arte Revisto IstoÉ. Foto: Revista IstoÉ 

No procedimento administrativo, que foi enviado à Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) e à direção do Hemopi, consta que o hemocentro deve receber, sem qualquer tipo de discriminação, seja sexual ou de gênero, doações de sangue por homens gays, bissexuais, assim como todas as demais pessoas que façam parte do segmento LGBT. A promotora de Justiça Myrian Lago, é quem está à frente do curso do procedimento.

Na segunda-feira (11), sete dos onze ministros do STF derrubaram as normas que impediam homens gays de doarem sangue pelo período de um ano depois da sua última relação sexual. A votação estava parada desde 2017, mas o julgamento foi retomado no plenário virtual.  

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Edição: Adriana Magalhães
Por: Jorge Machado com informações do MP-PI

Deixe seu comentário