Mortes por acidente de trânsito caem no Brasil, mas aumentam no Piauí

Enquanto a nível nacional houve queda de 9,8% entre 2010 e 2015, no Piauí ocorreu um aumento de 15% no número de mortes, no mesmo período.

20/06/2017 10:07h - Atualizado em 20/06/2017 10:39h

Compartilhar no

O número de mortes por acidente de trânsito ocorridas no Piauí até 2015 não acompanha a tendência nacional de queda, de acordo com os dados do Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM) do Ministério da Saúde. Enquanto a nível nacional houve queda de 9,8% entre 2010 e 2015, no Piauí ocorreu um aumento de 15% no número de mortes, no mesmo período.

(Foto: Reprodução)

Segundo o relatório, em 2015 houve 38 mil mortes no trânsito brasileiro. O número é o menor registrado desde 2010, quando foram registrados 42844 óbitos em acidentes. Comparando os dados de 2015 com os do ano anterior, 2014, a redução é ainda maior: 11%.

Entretanto, no Piauí, o número de mortes no trânsito veio aumentando entre 2010 e 2015, chegando ao topo em 2014, com 1204 mortes. O número registrado em 2015, 1123 óbitos, representou a maior redução do índice no período analisado.

Em proporção, estado é o que mais mata no trânsito

Com uma taxa duas vezes superior à média nacional, o Piauí é líder na proporção de óbitos por acidentes de trânsito na Região Nordeste, é o que aponta o Boletim da Morbimortalidade por Acidentes de Transporte Terrestre, divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde do Piauí (Sesapi) em maio.

Os dados constantes no relatório apontam que o Estado apresentou uma taxa de mortalidade no trânsito que variou de 31 por cem mil em 2010, até 37,7 por cem mil, em 2014, quando se registrou a maior proporção. De 2014 para 2015, houve uma redução na taxa de mortes no trânsito, para 35,1 por cem mil. A média nacional fica entre 18,9 por cem mil e 22,5 por cem mil.


Tabela mostra dados nacionais sobre mortes em acidentes de trânsito entre 2010 e 2015 (Foto: Divulgação/ Ministério da Saúde)

Compartilhar no
Edição: Nayara Felizardo
Por: Andrê Nascimento

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário