Ministério reconhece situação de emergência em Dom Inocêncio por falta de chuva

Fora da Região Nordeste, o Governo Federal também reconheceu situação de emergência em Juína, no Mato Grosso do Sul, devido a vendavais, e em Santana do Livramento, no Rio Grande do Sul, atingida por queda de granizo

24/10/2021 10:08h

Compartilhar no

O Governo Federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), reconheceu, nesta quinta-feira, a situação de emergência em 73 municípios do Nordeste do País, sendo 72 em razão da ausência de chuvas, inclusive Dom Inocêncio, no Piauí, e um devido a incêndios florestais.

No estado de Pernambuco, foram 55 municípios ao todo. Confira a lista completa neste link. Já na Bahia, nove cidades obtiveram o reconhecimento federal. São elas: Umburanas, Sobradinho, Nova Fátima, Planalto, Anagé, Ribeira do Pombal, Quijingue, Sento Sé e Caraíbas.

No Ceará, quatro cidades entraram em situação de emergência: Palhano, Tejuçuoca, Tamboril e Pedra Branca. E, no Rio Grande do Norte, foram duas: Serra Caiada e Fernando Pedroza.

Também devido à falta de chuva, os municípios de Dom Inocêncio, no Piauí, e Pinhão, em Sergipe, obtiveram o reconhecimento federal.

Já na Paraíba, a cidade de Itaporanga teve a situação de emergência reconhecida por causa de incêndios florestais.

Outras regiões

Fora da Região Nordeste, o Governo Federal também reconheceu situação de emergência em Juína, no Mato Grosso do Sul, devido a vendavais, e em Santana do Livramento, no Rio Grande do Sul, atingida por queda de granizo. Confira portaria do Diário Oficial da União

Com o reconhecimento da situação de emergência, os gestores municipais podem pedir auxílio financeiro ao MDR para atender a população afetada e para reconstrução de infraestrutura pública danificada. As solicitações devem ser feitas pelo Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2iD), que pode ser acessado neste link.

FOTO: Reprodução

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Fonte: Com informações Ministério do Desenvolvimento Regional

Deixe seu comentário