Milhares tomam avenidas de Teresina para celebrar a paz e a solidariedade

Dom Jacinto Brito afirmou que adesão popular maciça demonstra o espírito de caridade dos piauienses.

11/06/2017 12:49h - Atualizado em 11/06/2017 13:56h

Compartilhar no

Milhares de pessoas participaram, na manhã ensolarada deste domingo (11), da 22ª edição da Caminhada da Fraternidade, que é organizada pela Ação Social Arquidiocesana (ASA) e pela Arquidiocese de Teresina.

Como de costume, o evento teve início com uma missa, que foi celebrada pelo arcebispo de Teresina, Dom Jacinto Furtado de Brito Sobrinho, e por outros clérigos do estado.

Multidão de fiéis preencheu os dois lados da Ponte Juscelino Kubitschek (Fotos: Assis Fernandes / O DIA)

O arcebispo disse que a presença maciça de fiéis na caminhada é uma prova de que os piauienses são um povo solidário, que se preocupa com as pessoas que vivem momentos de aflição e de dor.

"Para nós, essa caminhada significa que nós estamos proclamando o valor da fraternidade acima de tudo aquilo que possa ser egoísmo, fechamento. E dizendo que, apesar de todos os sinais contrários, nós acreditamos que estender a mão ao outro, olhar o outro é, ainda, o que há de mais nobre no ser humano. E por isso apoiamos os que estão, diariamente, ao lado dos hansenianos, das pessoas com câncer e com HIV, ao lado dos idosos, de crianças e jovens em situação de risco. Então, participar desta caminhada é colaborar para manter essas obras e, sobretudo, manter em alta a bandeira da fraternidade", afirmou Dom Jacinto.

Fotos: Assis Fernandes / O DIA


O arcebispo disse, ainda, que o tema "Somos da Paz" foi escolhido por conta do atual momento de crise geopolítica por que passa o mundo, com o acirramento das tensões entre países que comprovadamente ou supostamente possuem armas nucleares, como os Estados Unidos, a Coréia do Norte e a Rússia.

Os caminheiros iniciaram o percurso de pouco mais de 5 km por volta das 9 horas, sob o entusiasmado comando do padre Tony Batista, vigário geral de Teresina, que é o idealizador da caminhada.

Tony Batista reforçou que, além da arrecadação de recursos para a manutenção dos projetos sociais da ASA, o principal objetivo da Caminhada da Fraternidade deste ano foi passar uma mensagem de esperança em dias melhores no Brasil e no mundo, enfatizando o repúdio dos cristãos às guerras, aos atentados terroristas, à violência nas cidades e à corrupção disseminada na gestão pública.

Este ano houve uma mudança no trajeto. Até a edição passada a caminhada incluía as avenidas Frei Serafim, Nossa Senhora de Fátima e Universitária. 

Desta vez os participantes seguiram pela Avenida Nossa Senhora até o cruzamento com a Avenida Dom Severino, onde dobraram à esquerda e caminharam até o estacionamento do complexo turístico da Ponte Estaiada (Ponte João Isidoro França).

O dinheiro arrecadado com a venda dos kits é destinado para os projetos filantrópicos atendidos pela Ação Social Arquidiocesana (ASA) de Teresina, como o Lar da Fraternidade, que acolhe pessoas soropositivas, e o Lar de Misericórdia, voltado para dar assistência a pessoas humildes que estão com câncer ou com outras doenças graves.

Compartilhar no
Por: Cícero Portela e Karoll Oliveira

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário