• Enem
  • Premium Outlet
  • Salve Maria
  • Jovens escritores 2019
  • Banner paraíba
  • AZ no rádio
  • cachoeir piaui
  • Novo app Jornal O Dia
  • TV O DIA att
  • TV O Dia - fullbanner

Mestre Bonequeiro Afonso Miguel morre aos 62 anos em Teresina

Famoso pelo seu teatro de bonecos, o mestre morreu na madrugada de segunda-feira (22), depois de ter sofrido duas paradas cardíacas.

22/04/2019 17:52h

Aos 62 anos de idade e de muita arte, faleceu o Mestre Bonequeiro Afonso Miguel, cujas criações o levaram a se destacar em todo o Brasil e países da Europa: sua genialidade, na grandeza de dar vida a um mundo lúdico, encantando crianças e adultos, é reconhecida por todos que, de uma forma ou de outra, tiveram contato com esse artista de primeira linhagem.

O mestre morreu na madrugada de segunda-feira (22), depois de ter sofrido duas paradas cardíacas - em razão de uma infecção após a colocação de prótese na bacia para voltar a andar. Para o ator e diretor de teatro Adalmir Miranda, que esteve bem perto do artista falecido, o Brasil perde um dos grandes mestres do teatro de bonecos. 

"É um legado da arte de bonecos que se apaga, mas deixa um grande acervo. Ele inspirou a peça Palha Assada e já planejávamos um novo espetáculo que estava sendo adiado devido aos seus problemas de saúde. Ele foi o nosso grande mestre de bonecos", disse , lembrando que percorreu todo o Piauí, com Afonso Miguel, com projeto da Secult: "Ele foi um dos pioneiros nesse trabalho e muitos que surgiram depois o tiveram como inspirador. Seu trabalho era reconhecido no Brasil e em vários países da Europa", destaca Adalmir Miranda.

Foto: Coordenação Cultura Viva Piauí.

 Afonso Miguel era ator quando se encantou pelo Teatro de Bonecos em 1976 , em Campinas, durante um festival. A partir dali fez disto sua profissão. Trocou os palcos pelos bonecos. Com sua arte, viajou pelo Brasil, Bélgica, Portugal e Holanda encantando com seu primoroso talento, através do seu Espetáculo Lua de Papel. Até pouco tempo, com seu Grupo de Teatro de Bonecos Fantochito, ainda ministrava oficinas para quem estivesse interessado em conhecer um pouco mais sobre a arte dos bonecos. 

Mamulengo tradicional e sua tendinha para risos, alegrias, surpresas: assim era o mundo lúdico de Afonso Miguel - que percorreu caminhos diversos levando sua casinha que paria artistas populares das feiras; dançarinos dos ritmos de frevos, bichos do sertão, boizinho bumbá e a cobra grande, vaqueiro, mulher parideira e bebê precoce, como tão bem definiu seu trabalho o também artista Maneco Nascimento. 

Fantochito é o nome de um dos primeiros bonecos criados por Afonso Miguel, em 1976. De lá pra cá, o grupo só cresceu. Afonso Miguel foi o responsável pelo crescimento do teatro de bonecos no Piauí, com suas criações e histórias que encantavam crianças e adultos. 

De acordo com estudiosos, o teatro de bonecos apareceu em terras americanas pelas  mãos dos colonizadores, em meados do século XVI, na era das grandes descobertas. Desta forma este movimento cultural aportou no Brasil, mais uma vez como instrumento de doutrinação religiosa. Ele se consolidou no Nordeste, fixando-se especialmente em Pernambuco, sendo batizado na Paraíba como Babau. Através desta arte os artistas podem transmitir ao público sua mensagem impregnada de temáticas sociais.

A graça do boneco está em sua associação de movimento e sonoridade, o que encanta e seduz principalmente o público infantil. O teatro de bonecos está sempre intimamente ligado ao entorno histórico, cultural, social, político, econômico, religioso e educativo conquistando meio mundo. 

Por: Marco Antônio Villarinho

Deixe seu comentário