• COMBATE AO MOSQUITO AEDES AEGYPTI 2019 - 2020
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Líderes do PCC e do Bonde dos 40 ficarão isolados em presídio

Segundo a SSP-PI, os presos na Operação Codinome ficarão detidos em regime disciplinar diferenciado, de modo isolado, para que não comandem facções de fora dos presídios

14/01/2020 13:12h - Atualizado em 14/01/2020 16:51h

Em entrevista coletiva concedida na manhã desta terça-feira (14), a Secretaria de Segurança Pública confirmou que durante a Operação Codinome, deflagrada hoje, foram presos quatro líderes do Primeiro Comando da Capital (PCC) e três do Bonde dos 40, as facções criminosas atuam principalmente nos estados de São Paulo e do Maranhão, respectivamente. 

Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Piauí (SSP-PI) todos os envolvidos na operação vão ficar detidos em regime disciplinar diferenciado, de modo isolado, para que não tenham a possibilidade de continuar comandando facções de dentro fora dos presídios. Essa será a primeira vez que o regime disciplinar será utilizado no Piauí.

Polícia cumpre mandados contra integrantes do PCC e B40 no Piauí. Foto SSP

Áudios divulgados também pela Secretária, mostram os suspeitos conversando sobre condições para integrarem facções criminosas. Em um deles, um homem questiona o outro sobre homicídios. No final, ele diz que para entrar no “quadro restrito” ele teria que matar duas pessoas por semana.


Durante a operação, 21 mandados de prisão foram cumpridos contra integrantes das facções e investigadas por envolvimento em vários crimes como tráfico de drogas, roubos e homicídios. Além disso, outras cinco pessoas foram presas em flagrante por portarem armas de fogo, drogas e celulares roubados.

De acordo com o secretário de Segurança Pública, o capitão Fábio Abreu, a ação policial se deu a partir de uma eminente disputa entre as facções dentro do Piauí. Segundo ele, para evitar conflitos entre os grupos que poderiam gerar consequências para o meio externo, a SSP decidiu prender os indivíduos faccionados.

“São rivais da facção, pessoas envolvidas com o crime, alguns que eram traficantes e entravam em conflito com a facção, outras mortes foram originadas por disputas internas dentro da própria facção”, afirma.

A atuação das duas facções no estado se dava a partir do contato com detentos custodiados no sistema prisional, em especial na Penitenciária José Ribamar Leite, a antiga Casa de Custódia. “Do presídio partia a ordem para a prática de crimes, como roubo e principalmente homicídios. Com essas investigações esclarecemos quatro homicídios que aconteceram em Teresina e poderão ser esclarecidos outros homicídios que estavam acontecendo”, explica o secretário.

Para o secretário, as prisões efetuadas nesta terça-feira impedem o domínio dessas facções em territórios do Piauí, em especial para evitar que viaturas sejam proibidas de circularem em determinadas áreas da Capital.  Segundo ele, a principal área de atuação do PCC na Capital ocorria na região do Angelim. Já o Bonde dos 40 atuava em especial no município de Timon, e os indivíduos faziam a travessia do Rio Parnaíba para praticar crimes em Teresina.

O secretário disse ainda que uma preocupação da polícia foi eliminar a comunicação dos detentos com o mundo externo. Para isso, foi realizado um trabalho minucioso para conter o número de celulares dentro dos presídios.

“Essa entrada de celulares na penitenciária José Ribamar Leite, se dava através de lançamentos externos. Fizemos os estudos e decidimos colocar uma tela, que fez com que recentemente conseguíssemos zerar essa comunicação que, aliás, essa também é feita por familiares, não é algo exclusivo de celulares”, finaliza.

Por: Jorge Machado, Sandy Swamy e Nathalia Amaral

Deixe seu comentário