• Campanha da Santa Missa
  • Vencer 03
  • Vencer 02
  • Vencer 01
  • Prerrogativas da advogacia
  • Peregrinos da fé
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Jovens escritores do Estado ganham o mundo no SaLiPi

Incentivar crianças e jovens à leitura e escrita nos primeiros anos de vida é um dos objetivos do Salipi Jovens Escritores.

29/02/2020 09:19h - Atualizado em 02/03/2020 10:08h

Incentivar crianças e jovens à leitura e escrita nos primeiros anos de vida é um dos objetivos do Salipi Jovens Escritores. E através da parceria com o Jornal O Dia, o Concurso Jovens Escritores oportuniza a cada ano às crianças e aos jovens materializarem o sonho e ganhar visibilidade, como conta o presidente da Fundação Quixote, Kássio Gomes.

“O SaLiPi é, para muitas crianças e jovens, a primeira grande oportunidade de mostrar os seus talentos no mundo da escrita literária. É o ponto de encontro com grandes escritores e com aqueles que estão iniciando a carreira. Esse intercâmbio desperta neles o desejo de escrever, afinal, o SALIPI tornou-se ao longo desses anos uma vitrine do autor piauiense”, diz Kássio Gomes.

O presidente fala ainda que na atual situação do país, onde a leitura ainda é mínima, eventos como o SaLiPi são referências no incentivo à atividade e à escrita. César Augusto, por exemplo, tem 11 anos e começou a desenhar aos cinco anos, após assistir desenhos na televisão. As tirinhas foram a sua primeira paixão, aos nove anos começou a fazer charge com temas sociais e políticos.

“Minhas charges são dos acontecimentos da época. Tudo que vejo no jornal eu crio a ideia na cabeça e coloco no papel. Gosto muito de ler também, tenho a serie completa do “Diário de um banana”, gosto de HQ´s, livros clássicos e “A volta ao mundo em 80 dias”, elencou César Augusto.


Jovens escritores do Estado ganham o mundo no SaLiPi. Foto: Assis Fernandes

Aos seis anos, ele escreveu o seu primeiro livro, um conto de fadas intitulado “Tudo mágico”. A obra foi publicada e tem 10 páginas. O próximo trabalho que o jovem deseja fazer é um livro de charges, onde vai reunir seus melhores desenhos e pretende lançar no SaLiPi.

“O personagem principal era eu. Eu estava em um mundo mágico e tinha um amigo que era um coelho. A gente viveu várias aventuras, escapou de várias coisas. Foi um livro que eu fiz muito rápido, mas eu fiz com carinho, acho que ficou bem feito”, fala César Augusto.

César Augusto gosta de todas suas charges, sem ter preferência por nenhuma em específico. O escritor dá dicas para outras crianças que têm ideias e querem realizar seus sonhos de escrever livros ou desenhar.

“Primeiro tem que começar cedo a se interessar, ler todo dia, a noite ou de manhã, e depois você vai criando uma história na cabeça e pronto”, explica o jovem.

Por: Sandy Swamy

Deixe seu comentário