Laudo: jovem sofreu múltiplas lesões por esforço físico excessivo

Josimar fazia o teste de aptidão física da PM e sofreu múltiplas lesões musculares.

14/05/2014 07:26h - Atualizado em 14/05/2014 14:09h

Compartilhar no

O laudo divulgado pelo Hospital de Urgência de Teresina (HUT) na tarde de hoje (14) revelou que a morte de Josimar Nascimento Cardoso, 27 anos, foi causada por lesões musculares múltiplas devido ao esforço físico excessivo. O jovem participava dos testes de aptidão física da Polícia Militar.

Ele deu entrada no HUT às 10h16, ontem e teve o quadro de saúde agravado para uma doença chamada Rabdomiólise, caracterizada por danos à musculatura esquelética. Quando isso ocorre, o conteúdo das células musculares é liberado na corrente sanguínea, o que pode ser potencialmente tóxico e ocasionar  lesão nos rins e arritmias cardíacas, levando, em casos extremos, à morte. Foi o que aconteceu com Josimar, que sofreu uma insuficiência renal aguda. 

As pernas do paciente incharam devido as lesões musculares no esforço. Para reverter a situação, o procedimento cirúrgico de fasciotomia dos membros inferiores, ou seja, um corte para descomprimir as estruturas dos membros, foi realizado. Mesmo assim, o jovem veio a óbito, após uma parada cardíaca.

Atualizada às 13h50

Na manhã de segunda-feira (12), durante o Teste da Aptidão Física, que faz parte da 3° etapa do concurso da Polícia Militar, algo inesperado aconteceu. Um rapaz que foi considerado apto a realizar esse tipo de teste passou mal enquanto corria e acabou morrendo após ser levado para o Hospital de Urgência do Matadouro, na zona Norte da capital. A causa específica da morte do jovem ainda não foi apresentada.


O jovem identificado como Josimar Nascimento Cardoso apresentou-se às 7 horas da manhã da segunda (12) para realizar os testes e passou mal quando já estava finalizando a corrida na pista da UESPI (Universidade Estadual do Piauí), no Campus Torquato Neto, que fica próximo ao campo de futebol da universidade.

Segundo o presidente da Nucepe (Núcleo de Concursos e Eventos da Uespi), Jorge Martins Filho, o jovem passou mal e foi prontamente atendido, medicado e levado ao hospital de urgência mais próximo. "Nós sentimos muito por essa perda, mas reafirmamos que todas medidas foram tomadas. A família foi chamada, o socorro foi prestado ainda na pista e infelizmente isso aconteceu", lamentou o presidente da Nucepe.


Antes dos testes físicos, Josimar havia passado por uma bateria de exames e foi dado como apto para realizar o teste. "Foi uma fatalidade. Ele passou por uma junta médica, apresentou todos os documentos médicos e foi aprovado. Inclusive durante o atendimento, assim que ele passou mal, Josimar estava consciente", acrescentou Jorge Martins Filho.

Em uma rede social, os amigos se mostraram bastante indignados e culpa a Polícia Militar por não ter oferecido os devidos cuidados ao amigo que perderam.


UESPI envia nota à imprensa. Confira na íntegra:

O Nucepe - Núcleo de Concursos e Promoção de Eventos da Universidade Estadual do Piauí -UESPI, ao tempo em que lamenta o falecimento de Josimar Nascimento Cardoso, candidato ao concurso da Polícia Militar, comunica que todas as medidas para a realização do concurso e do teste físico foram rigorosamente adotadas.

O candidato, como todos os demais, apresentou todos os exames médicos exigidos bem como atestado devidamente assinado por cardiologista. O documento, assinado no dia 08 de maio, atesta o candidato como em “pleno gozo de saúde física e mental, estando apto ao teste de aptidão física”.

O candidato passou mal durante a realização do teste físico, sendo prontamente atendido, ainda na pista, por médico, enfermeiro e ambulância, e conduzido para o Hospital de Urgência mais próximo.

O Nucepe comunica ainda que somente permite a participação nos testes físicos dos candidatos que apresentam toda a documentação médica exigida, sendo os testes físicos conduzidos por profissionais de educação física, professores da UESPI. Todos os testes também são acompanhados por uma equipe formada por médico e enfermeiro, com uma ambulância de prontidão.

O Nucepe acredita que o ocorrido se trata de uma fatalidade, lamenta o caso e se solidariza com a família.

Compartilhar no
Por: Allana Sousa e Nayara Felizardo

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário