Joaquim Pires registra três casos de malária; Sesapi realiza monitoramento

Dos três casos confirmados, um deles importado e dois autóctone. Em 2020, 23 casos foram confirmados no Piauí. Neste ano, há 152 notificações

27/09/2021 11:10h - Atualizado em 27/09/2021 11:18h

Compartilhar no

O município de Joaquim Pires, distante 238 km de Teresina, confirmou três casos de malária, um deles importado e dois autóctones. A Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) informou, na manhã desta segunda-feira (27), que realiza um monitoramento e busca ativapara identificar outros casos.

Segundo a Sesapi, caso importado é aquele que foi contraído fora da zona onde se fez o diagnóstico e caso autóctone é aquele em que foi contraído pelo enfermo na zona da sua residência.  

“Encaminhamos medicamentos, o Busca Ativa, inseticidas e já enviamos uma equipe nesta segunda-feira para borrifar todas as casas da localidade”, disse o gerente da Vigilância Sanitária da Sesapi, Antônio Sá.

A gerente de epidemiologia da Sesapi, Amélia Costa, explicou que com o fim do isolamento social por causa da pandemia a tendência é que os casos aumentem.  

“Sempre fazemos o rastreamento e, geralmente, os casos positivados vêm de regiões de garimpo como o Pará, Roraima e Guiana. Até o ano passado, quando havia restrição de viagens por causa da pandemia, a situação era bem controlada. Este ano, com o fim das restrições, os casos aumentaram”, esclarece.

Explosão de notificação

Conforme dados da Sesapi, só em 2020 foram registrados 23 casos. Neste ano, a pasta já notificou 152 pessoas.

“No caso de Joaquim Pires, uma pessoa que chegou de outro Estado acabou contaminando pessoas da cidade”, afirma. Amélia alerta ainda para a rapidez do diagnóstico, que é fundamental. “Com os sintomas, é preciso procurar orientação médica o quanto antes”, finaliza. 

Compartilhar no
Por: Jorge Machado

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário