HUT sofre suspensão de alimentos e materiais básicos

A FHT informou que o fornecimento já foi restabelecido, mas funcionários contestam.

19/11/2013 10:43h - Atualizado em 19/11/2013 12:36h

Compartilhar no

Desde o último dia 14, avisos afixados nos corredores do Hospital de Urgência de Teresina (HUT) comunicam que a alimentação para os profissionais da unidade de saúde está limitada. Não há mais lanches e nem salada nas refeições principais. Além da comida, faltam materiais básicos para o trabalho, como máscaras e sacos de lixo.

O Portal O Dia teve acesso à imagem de um dos comunicados espalhados pelo hospital que diz que a responsável pela suspensão do fornecimento de frutas e verduras é a Fundação Hospitalar de Teresina. O aviso diz que, por conta disso, as saladas e lanches estão suspensos temporariamente. 

Foto: reprodução/Facebook.

A situação tem sido denunciada pelos profissionais, dentre eles o técnico em enfermagem Eduardo Maia, que trabalha no HUT. Ele faz parte da diretoria do Sindicato dos Enfermeiros Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do Estado do Piauí (Senatepi). Segundo ele, a situação já é crítica há vários meses, mas tem piorado recentemente.

“As medidas são sempre paliativas, não tendem a melhorar. Os problemas têm piorado cada vez mais desde 2012 e até máscaras estão faltando. Você precisa ficar na enfermaria com pacientes que muitas vezes têm doenças infectocontagiosas e nem máscaras eles querem fornecer. É ruim pro paciente e pro trabalhador", destacou Eduardo.

Outros profissionais do hospital, que pediram para não serem identificados, informaram que até mesmo sacos de lixo e papel higiênico estão escassos e afetam o trabalho de todos os profissionais. 

Tanto a assessoria de comunicação da Fundação Municipal de Saúde (FMS) quanto a do HUT foram contactadas e disseram não ter conhecimento do problema. Ambas informaram que a responsabilidade é da Fundação Hospitalar de Teresina (FHT). 

Portal O Dia entrou em contato com a FHT e a informação é de que o fornecimento normal já foi retomado e qualquer atraso eventual já foi restabelecido. Contudo, profissionais afirmam que alguns problemas persistem. 

Compartilhar no

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário