Homem considerado morto é reencontrado pela família na Fazenda da Paz

Geraldo Humberto Carvalho havia desaparecido em abril e a família resolveu procurar o IML, mas acabou identificando o corpo errado.

04/07/2017 17:10h

Compartilhar no

O artesão Geraldo Humberto de Carvalho, 54 anos, que havia sido dado como morto pela própria família, foi reencontrado na Fazenda da Paz, onde fazia tratamento contra o alcoolismo há dois meses. Desde de abril que Humberto estava desaparecido e a família, já perdendo as esperanças de encontra-lo com vida, resolveu procurar o IML de Teresina.

No Instituto Médico Legal, os parentes fizeram o reconhecimento de um corpo que estava no local e sem identificação há dois meses. Como as características físicas batiam com as de Geraldo e de posse dos documentos apresentados pela família, a direção do IML autorizou a liberação do corpo para o velório e enterro.

No entanto, três dias após o corpo ter sido sepultado no Cemitério Santo Antônio, Geraldo foi encontrado por uma amiga durante missa realizada na Fazenda da Paz. A informação é do coordenador da Fazenda, Celio Barbosa. Ele conta que na hora da homilia, uma mulher se exaltou e começou a chorar, apontando para Geraldo.

“Ela ria e chorava, ria e chorava e foi aí que percebemos que havia algo errado. Então ela nos contou a história, que eles haviam velado e enterrado o corpo de um homem como se fosse o do Geraldo, que estava conosco, muito bem e em tratamento conta o vício em bebida. Foi uma surpresa para todos nós, mas principalmente para o Geraldo, que não tinha ideia do que estava acontecendo aqui fora”, relata Célio.

Ele acrescenta que Geraldo chegou à Fazenda da Paz encaminhado pelo Centro Pop como morador de rua, embora tivesse um documento de identificação. O artesão teria saído de casa para procurar ajuda contra o alcoolismo e não comunicou à família. Desde então, ele estava recolhido em tratamento. Célio Barbosa explica ainda que Geraldo não apresentou o histórico familiar para poder ficar na Fazenda da Paz, mas como havia sido encaminhado pelo Centro Pop, era de responsabilidade deste reunir a documentação, o que já estava sendo feito.

Geraldo já foi comunicado pela coordenação da Fazenda da Paz sobre o ocorrido. O momento agora, diz o coordenador, é de a família providenciar a reinclusão do artesão na sociedade, literalmente. Geraldo vai seguir em tratamento no local, mas desta vez com o pleno conhecimento de seus parentes.

O PortalODia.com tentou contato com a direção do IML, mas o diretor, Janiel Guedes, não atendeu à ligação. A reportagem também procurou o perito técnico Antônio Nunes, mas as ligações caíram na caixa de mensagem.

Compartilhar no
Por: Maria Clara Estrêla

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário