Harry Potter: 20 anos depois e a magia continua

Duas décadas após o lançamento do primeiro livro da série, o tempo que passou só consolidou o universo de Harry Potter como um fenômeno.

01/07/2017 08:33h

Compartilhar no

Duas décadas. Esse é o período de tempo que separa a publicação do primeiro volume de Harry Potter, série de fantasia que conta a vida de um jovem bruxo, dos tempos atuais. O tempo que passou consolidou a saga Potter como um fenômeno, que fomentou a publicação de sete livros, oito filmes, uma peça de teatro, parques temáticos, um percurso turístico na Escócia, uma exposição permanente em Londres e inúmeros objetos de marketing sobre o jovem bruxo. Mesmo com o fim da série de livros, para fãs em todo o mundo, a magia alimentada pela história continua viva. Tão forte quanto os laços criados a partir desse universo mágico e tão poderosa quanto um feitiço, que tal o do patrono?

As irmãs potterheds Andressa e Alícia Marédi falam da trajetória marcante da saga com a segurança de quem acompanhou de perto o desenrolar de toda a história ao longo dos anos. E tudo começou de forma desinteressada, como explica Andressa, 25 anos, rememorando os aspectos que aconteceram no início dos anos 2000, período da publicação do primeiro livro e, posteriormente, lançamento dos filmes.


As irmãs Andressa e Alícia falam da saga com a segurança de quem vivenciou todos os momentos, todas as emoções da série (Foto: Elias Fontinele/O Dia)

“Eu não gostava tanto de ler e nem mesmo lembro quando comecei ou tive acesso ao primeiro livro, mas eu sei que foi uma história que me prendeu muito rápido. No cinema, participei da maioria das estreias dos filmes que, naquele período, eu e minhas amigas madrugávamos na fila para não correr o risco de perder”, relata.

Memórias também compartilhadas pela universitária Alícia, 18 anos, que teve a influência da irmã no processo de encantamento pela saga Potter. Atualmente, Alícia exibe com orgulho uma coleção de livros, roupas, acessórios e produtos em geral do universo pottermaniaco. O quarto da jovem se tornou uma extensão do ambiente de magia presente na saga.

“Eu comecei pelos filmes, acompanhando a Andressa em algumas estreias, mas depois me interessei a ler o box e acabei me apaixonando. Quem vê de fora, acha que Harry Potter é uma história sobre bruxos fazendo magia, mas a gente que lê e acompanha sabe que tem muitas lições”, destaca Alícia.

A autora da série, a escritora britânica J.K. Rowling, realmente tornou a história de fantasia em um ambiente permeado por lições sobre amor, amizade, poder, desigualdade, segregação e críticas sociais. Os aspectos que permeiam a história de Harry transformam o universo do bruxo muito além de um conto de magias, fato que atrai o interesse de pessoas de diferentes faixas etárias até os dias atuais.

Apesar de ter o nome do bruxo Potter como o principal personagem, a saga de J.K Rowling traz muitos personagens que se destacam ao longo de toda narrativa. Rony Weasley, Hermione, Draco Malfoy, Snape, Hagrid, Voldemort e Dumbledore, são alguns dos protagonistas do mundo mágico.

E escolher o livro ou personagens preferidos, para um pottermaníacas, não é missão fácil. É por isso que as análises que fazem as irmãs Andressa e Alícia giram em torno de aspectos que elas mostram conhecer em detalhes. A importância de cada personagem ou transição por qual passa a história desenvolvem fortes laços afetivos nos fãs da saga.

“Eu vejo os livros como uma história bem grande, por isso, não consigo escolher um livro favorito. Tudo é uma evolução, começa na Pedra Filosofal e na leitura a gente vê que eles são bem criança e isso foi evoluindo. Eu consigo viver todo esse universo em todas as suas peculiaridades”, destaca Alícia, acrescentando que, nos filmes, a história cinematográfica construída em o Cálice de Fogo é uma de suas preferidas.

Andressa também faz suas intepretações. “Um filme que me marcou pelo fato de ter vivido toda trajetória foi o Relíquias da Morte, porque foi o último, foi como se estivesse morrendo alguém, porque a gente sabia que não ia mais ter aquilo. Também gosto muito de Ordem da Fénix, porque é um marco. No livro, o Enigma do Príncipe me marcou muito, porque foi o que Dumbledore morreu”, constata.

Entre histórias, personagens, surpresas e, também, críticas, as histórias de Potter foram construindo em quem acompanhou a saga ao longo dos anos um sentimento de pertencimento fortíssimo. Potter fez a magia ser experimentada no mundo real e, desde então, os fãs incumbiram-se de não deixa-la morrer. Mal feito, feito (sic).

Livros da saga continuam como alguns dos mais procurados em livrarias da capital, constituindo-se um fenômeno

Mesmo vinte anos depois de o primeiro livro da saga Potter ser lançado numa edição de 500 exemplares, em 26 de junho de 1997, J. K. Rowling está entre as escritoras mais procuradas nas livrarias. Em Teresina, as edições dos livros do jovem bruxo têm saída constante das prateleiras dos empreendimentos.

“O Harry realmente foi uma história diferenciada e, até hoje, a procura é imensa. É um volume que não deixamos faltar, porque o público de toda a idade vem procurar”, explica a funcionária Morena Silva da livraria Campos.

A história de Harry Potter encheu sete grossos volumes. Publicados entre 1997 e 2007, eles foram traduzidos para quase 80 idiomas, vendendo mais de 450 milhões de exemplares. As adaptações para o cinema, entre 2001 e 2011, arrecadaram quase 25 bilhões de reais.

Nas livrarias da Capital, uma edição do livro do bruxo custa por volta de R$ 35. O exemplar é buscado também por escolas públicas e particulares.


"Não podemos deixar faltar os livros da série, pois a procura continua imensa", afirma a vendedora Morena Silva (Foto: Elias Fontinele/O Dia)

“É um título que vende para pessoas individuais, mas também para as escolas, que buscam deixar disponíveis os exemplares em suas bibliotecas porque sabem do interesse que despertam”, destaca.

As histórias de Potter começaram a nascer em 1990 na imaginação da escritora J.K Rowling durante uma viagem de trem entre Manchester e Londres. O principal ponto da história é o combate entre Harry e Lord Voldemort, um bruxo das trevas que busca a imortalidade e que assassinou os pais do menino.

Os livros são, por ordem de publicação: "Harry Potter e a pedra filosofal", "Harry Potter e a câmara secreta", "Harry Potter e o prisioneiro de Azkaban", "Harry Potter e o cálice de fogo", "Harry Potter e a ordem da fênix", "Harry Potter e o enigma do príncipe" e "Harry Potter e as relíquias da morte".

Números da saga são surpreendentes, em tradução para 79 idiomas

Quando colocados em números, os dados do que tornou se transformou a saga de Harry Potter impressiona. Os sete livros foram traduzidos para 79 idiomas em 200 países e venderam um total de 450 milhões de exemplares desde o seu lançamento em 1997, segundo a editora britânica Bloombury.

A primeira edição do primeiro livro teve uma tiragem de 1.000 exemplares - convertidos hoje em tesouros para os colecionadores - e valeu a Rowling um contrato de 1.500 libras (R$ 6.300 mil).

Segundo dados do site Statistic Brain de setembro de 2016, os filmes faturaram US$ 7,2 bilhões, os livros US$ 7,7 bilhões e os produtos derivados US$ 7,3 bilhões.

Além disso, os estúdios de Harry Potter em Leavesden, próximo a Londres, permitem descobrir os cenários e o universo dos filmes em uma exposição permanente. Aberta em 2012, a atração recebe 6.000 visitantes por ano. Existem também parques temáticos criados pela Universal Studios em Orlando, Hollywood e Osaka.

Cosplay aproxima fã do universo do bruxinho mais amado do planeta

Ler ou assistir temas relacionados ao universo Potter às vezes parece pouco para alguns apaixonados pela narrativa mágica de Harry Potter. Muitos fãs, como forma de homenagear e se aproximar ainda mais do universo do bruxo usam de fantasias para aproximarem os vínculos da história fantástica.

Cosplay é um termo em inglês, formado pela junção das palavras costume (fantasia) e roleplay (brincadeira ou interpretação). É considerado um hobby onde os participantes se fantasiam de personagens fictícios da cultura pop.


Foto: Elias Fontinele/O Dia

A jovem Alícia, por exemplo, já fez cosplay da bruxa amiga de Harry, Hermione e, também, uma versão feminina do herói da nova série do universo Potter, “Animais Fantásticos e onde Habitam”, Newt Scamander.

“Sempre gostei de me fantasiar, mesmo antes de Harry Potter e, esse ano, já estou fazendo um novo cosplay para outro encontro de potterheads que talvez aconteça em setembro. Muita coisa tenho que fazer artesanalmente, porque ou não podemos comprar ou simplesmente não encontramos em Teresina e nem no Brasil”, destaca a jovem.

Histórias de Potter funcionam como um estímulo para a leitura, analisa professora

As histórias de Harry Potter transformaram o consumo de livros, especialmente para crianças e o público mais jovem, em algo próximo a um vício. É inegável que, ao longo dos anos, o sucesso da saga do bruxo oportunizou que muitos passassem a ver o hábito da leitura como algo prazeroso e necessário em suas vidas.

A professora de literatura Bárbara Campos destaca que os livros lançados por J.K Rowling influenciam diferentes aspectos na vida dos leitores. “Para os jovens, os livros funcionam como uma oportunidade de ter acesso à literatura de qualidade, além de ser um estímulo para a leitura. Fora que a ideia de saga tem uma grande chance de fazer da leitura um hábito, dada a proposta de continuidade. Para os professores, uma chance de desmistificar a concepção de que a literatura de qualidade deve partir apenas dos clássicos”, destaca.

Bárbara lembra que nesses 20 anos, desde o lançamento do primeiro livro, ela já esteve no papel de leitora e educadora e afirma: “Esse perfil de texto mantém-se firme porque não só agrada o leitor como contribui para a construção de um leitor efetivo”.


Bárbara Campos ressalta que os textos da obra têm relevantes aspectos como , por exemplo, a formação de leitores afetivos (Foto: Elias Fontinele/O Dia)

Enquadrado dentro do gênero de literatura fantástica, Harry Potter fez sucesso em uma época em que o uso da internet e das redes sociais começara a ter a total atenção do público infantil e jovem. No entanto, a saga acompanhou o contexto de modernização por qual passa a literatura.

“E-books à disposição; fóruns de discussão sobre as temáticas dos livros, ou diálogos - possíveis - com os próprios autores de livros que estão sendo construídos; a divulgação virtual de feiras literárias em todo país. Tudo isso também deve ser visto como estratégias que favorecem o contexto no qual a leitura pode ser construída”, constata a professora.

A narrativa atraente construída por J.K Rowling foi sendo consolidada como um conteúdo atrativo para além de faixa etária ou cultura. Sucesso em todo o mundo, a escritora mostra que a literatura pode ter papeis diversos na vida dos leitores.

“A literatura quando pensada como um instrumento social, mas ao mesmo tempo leve como abordada em livros fantásticos, tem chances maiores de alcançar seu objetivo. Quando esse encontro do leitor com o texto não pressupõe uma resolução de questões ou a obrigatoriedade de encaixar esse texto em uma ou outra escola literária, ou teoria, falamos de um encontro despretensioso, "desarmado"; o leitor está totalmente pronto para recebê- -la, ele lê com a alma”, finaliza Bárbara.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Por: Glenda Uchôa - Jornal O Dia

Deixe seu comentário