Governador quer taxa de oito homicídios para cada 100 mil habitantes

Wellington Dias defende que a situação do Piauí é melhor que dos outros estados, mas reconhece dificuldades.

23/06/2017 10:05h - Atualizado em 23/06/2017 10:41h

Compartilhar no

O governador Wellington Dias (PT) participou na manhã desta sexta-feira (23) da comemoração do aniversário de 182 anos da Polícia Militar e falou sobre os índices de criminalidade, que assustaram a população de Teresina esta semana. O evento, realizado na sede do quartel do comando-geral, contou com promoções de praças e oficiais, entregas de medalhas e de novos equipamentos.


Governador Wellington Dias na solenidade de aniversário da Polícia Militar (Foto: Assis Fernandes/ODIA)

Wellington Dias defende que a situação do Piauí é melhor que dos outros estados, mas reconhece que ainda há muito a melhorar. “Queremos chegar a oito, nove homicídios para cada grupo de 100 mil habitantes, que é um patamar muito bom para a realidade brasileira”, afirmou o governador.

Ele argumentou que já houve um período no qual o índice de criminalidade era de 22 homicídios para 100 mil habitantes e atualmente a taxa baixou para 18 homicídios. “O do Brasil está se aproximando de 30 para cada 100 mil habitantes. Tem estados que já estão com taxa de 80. Portanto, olhando para trás, temos avanços”, defende Wellington Dias.

O governador alegou que a ideia é cuidar da segurança como área prioritária, e destacou os concursos realizados para as polícias civil e militar. “São cerca de 1 mil policiais que chamamos de 2015 pra cá e agora temos novos concursos par Polícia Civil, Militar, agentes penitenciários e Bombeiros”, garantiu Dias, acrescentando que a redução da criminalidade será alcançada com a prevenção.

Na solenidade de hoje, foram promovidos 137 policiais militares, sendo 74 oficiais e 63 praças. Também houve entrega de Medalha do Mérito Policial Militar a 151 homenageados. Os policiais ainda receberam 418 coletes balísticos e um caminhão baú que foi doado pela Receita Federal.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Por: Nayara Felizardo e Ithyara Borges

Deixe seu comentário