• SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Funcionários fazem greve e aeroportos do interior paralisam atividades

Os servidores dos terminais de São Raimundo Nonato, Picos e Floriano estão com salários atrasados. Administradora mandou equipe de contingência para os terminais.

25/11/2019 11:57h - Atualizado em 25/11/2019 12:21h

Quem precisar utilizar os aeroportos do interior do Piauí, nas cidades de São Raimundo Nonato, Picos e Floriano, poderá enfrentar problemas nas próximas semanas. Isto porque os terminais estão com suas atividades suspensas devido á greve dos servidores em protesto ao atraso de salários.

A informação foi repassada ao Portal O Dia por uma fonte que preferiu não se identificar e confirmada pela gerência de operações da Esaero, empresa que administra os aeroportos destas três cidades. 

“Precisei usar o aeroporto de Picos, como também o de São Raimundo Nonato, na sexta-feira, saindo de Fortaleza, e o aeroporto encontra-se fechado na área de movimento, que inclui a pista de pouso e os pátios de parada da aeronave. Liguei para o pessoal de Picos e lá fui informado que o aeroporto estava fechado e iria ficar assim de sexta até o dia 13 de dezembro devido á falta de pagamento [dos funcionários]”, disse.


Aeroporto de São Raimundo Nonato - Foto: Arquivo O Dia

Os aeroportos de Picos, Floriano e São Raimundo operam com uma média de cinco a seis voos diários entre poucos e decolagens cada, mas nenhum deles é voo comercial, tratando-se apenas de voos fretados e táxis aéreos. Além disso, estes terminais recebem também voos do SAMU Aéreo, para atendimentos de urgência e emergência em cidades do Sul do Piauí.

A reportagem ligou para os terminais de Picos, Floriano e São Raimundo Nonato, mas as ligações não foram atendidas. Em contato com a Esarero, que administra estes aeroportos, a empresa confirmou a situação e reconheceu os transtornos causados. 

A gerente de operações da Esarero, Dângela Tácia, disse que já foi encaminhada uma equipe de contingência para São Raimundo, Picos e Floriano para dar o suporte necessário e evitar que os aeroportos parem de funcionar em sua totalidade.

As informações da paralisação também se encontram no site do Departamento de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro, informando que a área de movimento dos terminais encontra-se sem funcionar “devido a movimento paredista”.

Segundo informou a representante da Esaero, uma vez que a notificação entra no sistema do Departamento de Controle, cabe aos pilotos que precisam utilizar os terminais paralisados refazerem seus planos de voos ou escolherem pousar no terminal mesmo com a greve.

“O NOTAM [sistema de notificação do Departamento de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro] não proíbe os voos naqueles terminais, só que nós, operadores, não podemos nos responsabilizar. Então cabe ao aeronavegante [piloto] decidir se mantém ou não seu plano de voo”, explicou a representante da Esaero.

Segunda paralisação 

Esta já é a segunda vez que funcionários dos aeroportos de São Raimundo Nonato, Picos e Floriano paralisam suas atividades em protesto pelo atraso de salários. Em julho do ano passado, a categoria também cruzou os braços temporariamente reivindicando o pagamento de três meses de remuneração que ainda não haviam sido pagos.

À época, a Esaero conseguiu solucionar as pendências e resolveu a situação dos funcionários. 

Por: Maria Clara Estrêla

Deixe seu comentário