• Banner OAB
  • Campanha da Santa Missa
  • Vencer 03
  • Vencer 02
  • Vencer 01
  • Prerrogativas da advogacia
  • Peregrinos da fé
  • Novo app Jornal O Dia

Teresina: Garçom se nega a atender homem usando cropped

Davi Lutasi estava usando uma blusa modelo cropped quando foi impedido de comprar no estabelecimento. A empresa se manifestou sobre o caso e informou que demitiu o colaborador envolvido no caso.

04/02/2020 15:50h - Atualizado em 05/02/2020 16:24h

Atualizada às 19h30

Depois de uma reunião na tarde desta terça-feira (04), envolvendo Davi Lutasi e o funcionário do local, o Fast Food cancelou a demissão do colaborador. Em um publicação no Instagram, a empresa ressaltou que reforçará "o treinamento de atendimento ao cliente de toda a equipe, através de palestras e esclarecimentos". 

----

 Matéria original

Está circulando nas redes sociais um vídeo em que o jovem Davi Lutasi revela que um funcionário de uma rede de Fast Food de Teresina teria se recusado a atendê-lo devido a sua vestimenta. A empresa, inclusive, já se manifestou sobre o caso e informou que demitiu o colaborador envolvido no caso.

Davi Lutasi estava usando uma blusa modelo cropped quando foi impedido de comprar no estabelecimento. Indignado com a situação, o jovem então gravou uma sequência de stories no Instgram, que rapidamente se espalharam nas redes sociais. (Veja vídeo abaixo)


"O cara simplesmente disse que eu não seria atendido, para eu sair daqui e vestir a minha roupa porque eu estava sem camisa. Se fosse qualquer uma das meninas com a mesma roupa, ele não ia falar nada. O Dogão Teresina não aceita o cropped masculino, só pra deixar aqui registado. Ele (funcionário) disse que não ia me atender, eu nem ia comer nada, mas ele disse que se eu quisesse, ele não ia me atender porque eu estava sem camisa (Sic.)", disse.

No vídeo, é possível ver que uma mulher aparece e oferece uma blusa para o jovem, que recusa. O caso aconteceu na noite dessa segunda-feira (3).

Foto: Reprodução Instagram

Já na manhã seguinte, após repercussão negativa na internet, a empresa emitiu uma nota onde afirma ter demitido o funcionário. No comunicado, a empresa informa que o “comportamento do colaborador foi inadequado, e que infringiu as regras do regulamento interno, bem como as práticas de atendimento aos clientes”.

A empresa pediu desculpas aos clientes e afirmou que, em 40 anos de existência, esse foi a primeiro caso desse tipo.

Em outra publicação no Instagram, Davi agradeceu o apoio que recebeu nas redes sociais. “Eu nunca imaginei que a denúncia que eu fiz teria uma repercussão tão grande. Isso mostra que a sociedade, por incrível que pareça, não está perdida, ainda tem empatia no coração e que as pessoas se importam com o sofrimento e constrangimento dos outros. E acima de tudo, espero que essa situação se transforme em algo bom, que sirva de alerta para outras empresas e para pessoas que ainda insistem em ser preconceituosas”, disse.

A empresa ainda marcou uma reunião com o jovem nesta terça-feira para tratarem sobre o caso.



Edição: Adriana Magalhães
Por: Jorge Machado, do Jornal O Dia

Deixe seu comentário