Fotografias de Ipês são tema de campanha

Florada dos Ipês acontece do final de julho até o início de outubro

07/08/2013 10:05h - Atualizado em 07/08/2013 10:57h

Compartilhar no

A época mais quente do ano também é um dos períodos mais floridos de Teresina, pois começa a florada de diversas espécies de Ipês na capital. Com o intuito de mostrar as belezas dessas árvores, a Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Teresina (Semam), lançou uma campanha nas redes sociais chamada Fotografe Ipês, onde a população poderá publicar fotos de Ipês em diversos pontos da cidade.

A Prefeitura de Teresina tem plantado diversos Ipês pela cidade ao longo dos anos, e muitas dessas árvores ainda existem no quintal das casas. A iniciativa da Campanha #fotografeipe visa divulgar estas árvores através da internet e busca despertar no teresinense a valorização desse patrimônio natural.

As fotografias podem ser feitas por qualquer pessoa, pois o que será observado nas fotos é a beleza da imagem. A florada acontece do final de julho até início de outubro. Serão aceitas fotos de qualquer espécie de Ipê. As melhores fotografias serão divulgas no site da Prefeitura de Teresina. As fotos podem ser enviadas através do email [email protected].

Conheça mais sobre os ipês

O Ipê (gênero Tabebuia) é árvore nativa da América do Sul. Em tupi-guarani, Ipê significa “árvore de casca grossa” e tabebuia é “pau” ou “madeira que flutua”. No Brasil ocorrem 28 espécies, segundo o Index Kewensis. Cada espécie tem vários nomes populares e alguns são usados, em diferentes regiões, para identificar Ipês de espécies diversas. Plantados em muitas cidades e fazendas como árvores ornamentais, atingem de 5 a 35 metros de altura e sua madeira é muito resistente. As espécies mais comuns são:

Ipê-roxo (Tabebuia avellanedae): também conhecido por pau-darco e outros nove nomes populares regionais. É muito usado no paisagismo urbano pela beleza de suas flores roxas, agrupadas em cachos. É confundido com outras duas espécies, também de flor roxa, T. impetiginosa (ipê-roxo-de-bola) e T. heptaphylla (ipê-roxo-de-sete-folhas).

Ipê-amarelo (T. chrysotricha): ocorre do Espírito Santo até Santa Catarina, na floresta pluvial atlântica. As flores são agrupadas em hastes florais.

Ip}e-do-Cerrado (T. ochracea): é outra espécie de ipê-amarelo, também conhecida por ipê-do-campo.

Ipê-amarelo-do-cerrado (T. caraiba): ocorre da Amazônia até o Pantanal. As flores saem diretamente do tronco e dos galhos.

Ipê-amarelo-liso (T. vellosoi): encontrado em Minas Gerais, São Paulo, Mato Grosso, Goiás, Rio de Janeiro e, principalmente, na floresta pluvial. Em 1961, o presidente Jânio Quadros o declarou flor nacional.

Ipê-rosa (T. pentaphylla): em algumas regiões do Brasil é o primeiro dos ipês a florir, em junho. Em outras, o último, em setembro. Confunde-se com outras espécies de flor roxa.

Ipê-branco (T. roseo-alba): também conhecido como ipê-amarelo-de-folha branca, é uma das espécies mais vistosas. A floração não dura mais que dois dias, em agosto, mas repete em setembro. Entre os ipês brancos, existe uma variedade violácea.

Ipê-pardo (T. serratifolia): é um dos ipês mais vistosos e de maior porte. Suas flores são amarelos, em cacho.

Ipê-verde (Cybistax antisyplilitica): Não pertence ao gênero Tabebuia. É uma das espécies menos conhecidas. A flor verde-limão não se destaca. Floresce no verão, de dezembro a março.

Facebook

https://www.facebook.com/fotografeipes

Instagram

Hashtag: #fotografeipes


Foto: Reprodução

Compartilhar no
Fonte: AsCom - PMT

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário