• Curta Doar
  • Teresina 167 anos
  • Casa dos salgados
  • Novo app Jornal O Dia

FMS rebate fake news sobre sarampo que circula nas redes sociais

Apesar de não haverem casos confirmados da doença, três pacientes foram submetidos a exames para diagnóstico.

15/08/2019 11:22h - Atualizado em 15/08/2019 11:46h

Em nota divulgada nesta quinta-feira (15), a Fundação Municipal de Saúde (FMS) rebateu informações falsas sobre sarampo que circulam em grupos de WhatsApp. Segundo a FMS, ao contrário do conteúdo que circula nas redes, não há casos confirmados dessa doença em Teresina e o órgão não está promovendo campanha de vacinação. No entanto, a FMS disponibiliza a vacina tríplice viral (contra sarampo, caxumba e rubéola) durante todo ano à população, nas unidades de saúde e hospitais.

Segundo o órgão, há anos que nenhum paciente é diagnosticado com sarampo na Capital. Apesar disso, a FMS esclarece que três casos suspeitos estão sendo investigados, mas que ainda não foram confirmados.  "Por esse motivo, adotamos todas as providências cabíveis, conforme determina a Portaria 29 do Ministério da Saúde, a exemplo do bloqueio vacinal para contatos de casos suspeitos no período de até 72 horas. Para cumprimento do protocolo, também coletamos e enviamos o material clínico para investigação laboratorial e isolamos os casos suspeitos durante o período de transmissibilidade da doença”, explica a diretora de Vigilância em Saúde da FMS, Amariles Borba.

 A FMS disponibiliza a vacina tríplice viral (contra sarampo, caxumba e rubéola) durante todo ano à população. (Foto: Arquivo O Dia)

A recomendação é que as crianças devem tomar 01 dose da Vacina Tríplice Viral aos 12 meses de idade e reforço aos 15 meses. Já a pessoa com idade entre 01 a 29 anos, se nunca tiver se vacinado, deve tomar duas doses; entre 30 e 49 anos, tomar uma dose e maior de 50 anos não deve tomar esta vacina. Os profissionais de saúde, independente da idade, administrar duas doses, conforme situação vacinal encontrada.

“Solicitamos o apoio e empenho da população para a manutenção das ações de vigilância e prevenção, em especial a atualização da caderneta de vacinação das crianças com idade de 12 e 15 meses de idade. É importante esclarecer que a pessoa que já tomou duas doses da vacina, não precisa mais tomá-la”, afirma o presidente da Fundação Municipal de Saúde, Charles Silveira.

O sarampo é uma doença viral aguda, altamente contagiosa que cursa com febre, tosse, coriza, conjuntivite e manchas cutâneas avermelhadas, podendo levar a complicações graves e óbito. A transmissão do vírus do sarampo é direta de pessoa a pessoa, por meio das secreções nasofaríngeas  e expelidas pelo doente.

O sarampo é endêmico em vários países da Europa, Ásia e África, existindo dessa forma o risco de importação para o Brasil. Desde  fevereiro de 2018, casos de sarampo foram confirmados em vários Estados brasileiros, como Roraima, Amazonas, Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Rio de Janeiro e São Paulo.

Por: Nathalia Amaral, com informações da FMS.

Deixe seu comentário